Governo pede investigação da Netflix por pornografia infantil

por Redação Bonde
   
Reprodução

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos pediu a suspensão da veiculação do filme "Lindinhas" pela Netflix. O longa tem sido acusado por Damares Alves de sexualizar crianças.

O pedido foi encaminhado à Coordenação da Comissão Permanente da Infância e Juventude.

No oficio, o secretário Maurício Cunha (Secretaria Nacional de Direitos da Criança e do Adolescente) afirma que "o filme apresenta pornografia infantil e múltiplas cenas com foco nas partes íntimas das meninas enquanto reproduzem movimentos eróticos durante a dança, se contorcem e simulam práticas sexuais".

A repercussão do filme gerou debate sobre a participação de crianças na dramaturgia e a necessidade de discutir temas polêmicos.

O longa narra a história da imigrante senegalesa Amy, de 11 anos, vivida pela atriz Fathia Youssouf. Criada nas tradições religiosas da família muçulmana, a garota ouve da mãe e da tia que a mulher deve se comportar com subserviência aos homens. Ao se mudar para Paris, ela entra para um grupo de garotas rebeldes do colégio que imitam coreografias sensuais e usam roupas curtas e salto alto.

Conteúdo relacionado: