Ballet de Londrina faz apresentação gratuita no Moringão

Companhia celebra 100 anos de "A Sagração da Primavera"; confira a programação

por Redação Bonde com assessoria
   

Os ecos de 29 de maio de 1913 ainda podem ser sentidos na arte contemporânea. Naquela noite em Paris, a barulhenta perplexidade do público não conseguiu encobrir o impacto histórico da música de Igor Stravinsky e da coreografia de Vaslav Nijinsky na estreia de "A Sagração da Primavera". Os dois romperam com valores conservadores e fizeram da obra um marco estético que escancarou as portas do mundo para a modernidade.

O Ballet de Londrina celebra esta data fundamental, 100 anos depois, com a versão do diretor Leonardo Ramos para "A Sagração da Primavera" numa apresentação aberta ao público. O grupo londrinense ocupa o Ginásio de Esportes Moringão nesta quarta-feira (29), às 20 horas.

Trata-se de uma dupla comemoração: primeiro, pela importância histórica do centenário; em segundo lugar, pelos 20 anos do Ballet de Londrina - aniversário festejado ao longo de 2013. O local escolhido também não é fortuito. É a primeira vez que a companhia - que já se apresentou em vários espaços alternativos da cidade - dança no Moringão. O plano inclinado da arquibancada deve permitir ampla visualização do palco montado na cancha e favorecer a linguagem coreográfica do grupo, feita de movimentos muito horizontais, colados ao chão.

Leonardo Ramos completa que é sempre instigante levar a dança contemporânea para diversos públicos e para diferentes locais. Nesta apresentação, o desafio será manter a delicadeza e o impacto de determinados momentos em um ambiente "onde a concentração é outra e a dispersão é maior". O início do espetáculo, por exemplo, tem quatro minutos de absoluto silêncio, antes dos primeiros acordes de Stravinsky. "Vamos encená-la no Moringão com uma nova consistência. Mudamos alguns volumes no processo, pois algumas pessoas assistirão a muitos metros do palco, é uma outra forma de ver", explica.

Valéria Félix - Divulgação

Por suas especificidades, "A Sagração da Primavera" exige um estudo continuado. Leonardo explica a necessidade de exatidão e rigor na execução coreográfica por parte dos bailarinos, justamente pela complexidade da música. "Queremos ser como um coral, dentro de um projeto em grupo, em que a personalidade de cada um contribua para a integração do todo". Essa ideologia garante a qualidade e a renovação de uma companhia que agrega, num mesmo elenco, bailarinos veteranos ao lado de jovens estreantes.

O público que comparecer no Moringão poderá vê-los realizar uma das mais pungentes coreografias do Ballet de Londrina, permeada de quedas, embates e movimentos horizontais que exigem uma nova lógica de apoio e locomoção para o elenco. O enredo de "A Sagração ..." ainda é o mesmo da obra centenária que chocou a Europa: descreve o percurso doloroso de um virgem, eleita num ritual pagão para ser sacrificada. Sua vida é oferecida aos deuses para o florescimento da terra durante a primavera, numa metáfora para os ciclos da natureza que sufocam e extinguem os mais frágeis em prol da força coletiva. Ramos dedica sua versão contemporânea às mulheres, como "símbolo de todas as minorias".

"A Sagração da Primavera" da companhia paranaense estreou em 2011 e, desde então, circulou por cidades como Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Curitiba. No exterior, foi encenada no XXIV Festival Internacional Danza Nueva, em Lima, Peru. No mês de abril, o grupo, vencedor do Prêmio Funarte Petrobras de Dança Klauss Vianna 2012, realizou turnê de 26 dias pelo Nordeste. A montagem marca a maturidade do Ballet na consolidação de uma linguagem específica em dança e um desafio para a trajetória de Leonardo Ramos.

"É como se eu fosse um escultor e tivesse trabalhando o mármore mais raro do mundo", compara ele, sobre a experiência de coreografar uma obra tão emblemática e revisitada por criadores do quilate da alemã Pina Bausch (1975), do francês Maurice Béjart (1959) e da americana Martha Graham (1984). "Fazer a Sagração era vencer um enorme desafio, mexer em algo grandioso. Quando a coreografia estava ficando pronta, sentimos que estávamos conseguindo chegar no ponto do seu valor intrínseco. A sensação era de dever cumprido".

Serviço:

A Sagração da Primavera - 100 anos - Ballet de Londrina

Quando: 29 de maio (quarta-feira)

Horário: 20 horas

Onde: Ginásio de Esportes Moringão

(Rua Gomes Carneiro, 315)

Quanto: Gratuito