Danças tradicionais brasileiras são tema de oficina e espetáculo

por Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
   
Divulgação

Este sábado (13) será um dia inteiramente dedicado aos estilos tipicamente brasileiros no 16° Festival de Dança de Londrina. A grande atração da noite é da coreógrafa e bailarina paulista Maria Eugenia Almeida, que apresenta às 20h, no Teatro Ouro Verde, "Planta do pé", um misto de espetáculo, contação de história e aula expositiva, em que demonstra as danças de seu repertório construído ao longo de 12 anos e compartilha com o público, de maneira interativa e bem humorada, uma reflexão sobre o legado oferecido pelas danças tradicionais brasileiras. Maria Eugenia ministra também uma oficina, das 16h às 18h, na Escola Municipal de Dança, com o tema danças tradicionais brasileiras, convidando os participantes a subirem ao palco na apresentação da noite. Ingressos custam R$10 e 5 (meia-entrada), já disponíveis nos pontos de venda do Festival. A oficina tem o valor de R$ 20 e as inscrições podem ser feitas na secretaria da Funcart.

Filha do mestre Antonio Nóbrega - que assina a trilha de "Planta do Pé" -, bailarina da Cia Soma e ligada ao Instituto Brincante, Maria Eugenia funde a nobre beleza dos movimentos populares com referências artísticas contemporâneas. Após as viagens entre Europa e Índia realizadas em 2012 e 2013, ela organizou para esse trabalho seu repertório cênico desenvolvido desde 2007 e uniu a ele novas pesquisas, fruto das técnicas absorvidas em viagem. As cenas contam com figuras mascaradas, narrativas e versos cantados com o público, forjando-se uma atmosfera solene e espontânea, característica do ambiente dessas danças, que acolhem tanto os adultos quanto as crianças.

"Planta do Pé" traduz em seu nome uma ambiguidade vivenciada pela dançarina. Enquanto imagem de vegetação, o termo simboliza uma pesquisa que ramificou dos estudos iniciados por seus pais. Pesquisadores e artistas, Antonio Nóbrega e Rosane Almeida desenvolvem um trabalho a partir do universo das tradições populares brasileiras que Maria Eugenia acompanha desde os sete anos. Já enquanto parte do corpo, o título faz alusão à relação de conexão do corpo com o solo. Os passos das danças como Caboclinho, Cavalo Marinho e Frevo têm como característica marcante a agilidade, o uso do peso e a graciosidade com qu e os pés se conectam à terra.

O espetáculo foi criado por Maria Eugenia em 2014 a convite da Instituição Passo do Frevo para integrar a programação da Mostra Internacional de Dança de Recife.

Maria Eugenia Almeida começou a se familiarizar aos sete anos com as danças populares brasileiras. Aos nove, passou a se apresentar em espetáculos de seu pai Antonio Nóbrega. A convite da curadoria de dança do Centro Cultural Banco do Brasil, criou o espetáculo solo "Casa das Miudezas". Em 2008 fundou, ao lado de Marina Abib, a Companhia Soma. Une à pesquisa de dança brasileira experiências vividas em cursos dentro e fora do Brasil, como as técnicas de Jacques Lecoq, Eugenio Barba e do Kathakali. Compõe a equipe pedagógica d o Instituto Brincante e da Pós-graduação "A arte de ensinar arte", do Instituto Singularidades.

Samba da Madrugada

Para fechar o sábado, nada melhor que um ponto de encontro ao ritmo mais brasileiro. A partir das 21h, o Bando da Madrugada toca para o público do Festival dançar em "Samba da Madrugada - Esse samba é pra vocês". O já tradicional ponto de encontro dos bambas em Londrina presta homenagem ao "Fundo de Quintal". A bateria do Bando, com o vocal de Luiza Braga, vai executar sucessos do grupo originado no Cacique de Ramos e outros mais noite adentro.

Fundado em 2013 como espaço de preservação do samba autêntico, o projeto "Samba da madrugada" já foi visto por cerca de 30 mil pessoas e trouxe à cidade nomes como Almir Guineto, Monarco, Nelson Sargento e Casuarina. As entradas para o "Samba da Madrugada" são na forma de couvert artístico e podem ser adquiridos antecipadamente pelo valor de R$ 20 (no site www.sympla.com.br/sambadamadrugada) ou na hora por R$ 30.

Serviço:

Planta do pé

Maria Eugenia Almeida (São Paulo-SP)

Dia: 13 de outubro (sábado)

Horário: 20h

Local: Teatro Ouro Verde (R. Maranhão, 85)

Duração: 60 minutos

Classificação indicativa: Livre

Ingressos: R$10 e R$5 (meia-entrada)

Pontos de venda:

Secretaria da Funcart

Rua Senador Souza Naves, 2380

Fone: (43) 3342-2362

Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 9h30 às 11h30 e das 13 às 19 horas

Loja Shop Ballet

Rua Pio XII, 64 - loja 3

Fone: (43) 3323-4717

Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 9h às 18h, e aos sábados, das 9h ao meio-dia

Teatro Ouro Verde (bilheteria)

Rua Maranhão, 85

Fone: (43) 3322-6381

Horário de funcionamento: das 16h até o início do espetáculo

Ficha Técnica:

Elenco: Maria Eugenia Almeida

Direção: Rosane Almeida

Coreografias: Maria Eugenia Almeida e Companhia Soma

Trilha Sonora: Antonio Nóbrega

Figurino: Elena Budu

Boneco: Sandro Roberto

Cenário: Fabiana Fukui

Produção: Joca Paciello

Samba da madrugada - Esse samba é pra vocês

Bando da Madrugada

(Londrina-PR)

Dia: 13 de outubro (sábado)

Horário: 21 horas

Local: Samba da Madrugada (R. Paraíba, 574)

Duração: Madrugada adentro

Classificação indicativa: 18 anos

Couvert na entrada do Samba (R$30) ou antecipados (R$20) no site www.sympla.com.br/sambadamadrugada

Informações gerais sobre o Festival de Dança de Londrina 2018:

Mostra oficial: 8 a 14 de outubro de 2018

Programação no site:

www.festivaldedancadelondrina.art.br