Aumento de limite no cartão Nubank vira trending topic do Brasil no Twitter

por Isabela Bolzani - Folhapress
   
Instagram/@nubank

Uma onda de comentários sobre aumento de limites no cartão de crédito do Nubank, nesta quarta-feira (30), fez com que a companhia ficasse no Twitter entre os trending topics, temas mais comentados, da rede social.

O movimento chama a atenção por ocorrer durante a pandemia do coronavírus, que tem trazido alta nos índices de desemprego, aumento de endividamento da população e uma crescente cautela entre as instituições financeiros na análise dos financiamentos.

O Nubank também anunciou nesta quarta-feira que começa a operar na Colômbia. O primeiro lançamento no país será o cartão de crédito roxo, característica principal dos plásticos da companhia. O Nu Colômbia, como será chamado, terá sede em Bogotá, capital colombiana, e é o quarto escritório da empresa na América Latina, que além do Brasil, conta com operações no México e com um hub de talentos e tecnologia na Argentina. O Nubank também possui um hub de engenharia em Berlim, na Alemanha.

O Nubank possui hoje cerca de 30 milhões de clientes no Brasil e mais de 150 mil pedidos de cartão de crédito no México, onde começou a operar em 2019. É normal, em uma instituição financeira, que o crédito disponível para uso no cartão de crédito varie conforme a renda do cliente, frequência de pagamentos e atraso, entre outro critérios. Nesse sentido, a análise de crédito também considera o apetite de risco do credor, uma vez que caso algum cliente deixe de pagar, há um maior risco de inadimplência e de perda para a instituição financeira.

Em nota, o Nubank afirmou que o aumento dos limites foi um movimento regular do time de análise de crédito da companhia.

"No Nubank, estamos sempre estudando formas de tornar a experiência dos nossos clientes ainda mais completa. Por isso, nós analisamos constantemente o perfil de uso de cada cliente para que o limite seja o mais adequado possível, apoiando nossos usuários na construção de um relacionamento responsável com suas finanças e o uso consciente e responsável do crédito", afirmou em nota.

Nesta quarta-feira, foi divulgado que a taxa de desemprego registrou novo recorde, chegando a 13,8%, segundo dados da Pnad Continua do IBGE (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O país tem 13,1 milhões de desempregados e outros 5,8 milhões de brasileiros que desistiram de procurar emprego porque acreditam que não vão encontrar uma vaga.

O índice que mede o endividamento das família chegou a 46,7%, alta de 2,7 pontos percentuais em relação a igual mês de 2019 e o maior patamar para o índice em mais de um ano. Na prática, o indicador aponta que quase metade das famílias estão endividadas. O dado inclui financiamento imobiliário.

Conteúdo relacionado: