RBD se mantém como fenômeno mundial mesmo após uma década

por Victória Vischi - Estagiária*
   
Reprodução/Instagram

Depois de 12 anos, RBD lança uma nova música. O single "Sempre He Estado Aqui” foi produzido com a partição de quatro membros da banda original Anahí, Christopher von Uckermann, Christian Chavéz e Maite Perroni. A música alcançou o número 1 nas paradas de diversos países, além de entrar para o Top 50 do iTunes nos Estados Unidos, que é o maior mercado musical.

Isso mostra que mesmo depois de anos de separação, a banda continua a manter o apoio de fãs fervorosos ao redor do globo. Mateus Rosa, 23, é fã da banda desde os 8 anos e conta que em toda essa década de separação, continuou a ouvir as músicas da banda com frequência "Por ter sido uma criança fã de RBD, sempre sou tomado por uma certa nostalgia quando ouço, mesmo que os temas tratados nas músicas não tenham nada a ver com a infância”.

Para que os fãs pudessem ouvir as músicas, nesses anos, precisavam recorrer a CD’s ou a versões das músicas disponibilizadas no Youtube, pois as músicas do RBD só foram incluídas em uma plataforma de streaming em agosto desse ano. A estreia na plataforma de streaming Spotify superou expectativas. A banda conta com mais de 3 milhões e meio de ouvintes mensais, batendo inclusive recordes da banda BTS, grupo de POP sul-coreano.

O fenômeno RBD foi a primeira obsessão de uma geração. Formado em 2004, na Cidade do México, o grupo de POP mexicano, foi criado a partir da novela Rebelde, da emissora Televisa. Os fãs fervorosos da novela e da banda acompanhavam cada capitulo e compravam diferentes produtos inspirados na banda. Revistas, alguns de figurinhas, itens de vestiário com a estampa de RBD, estavam entre os desejos de consumo dessa geração. Além de cortes e cores de cabelo.

Mariana Bianchini, 24, é fã da banda desde os 9 anos de idade. Ela conta que RBD foi importante na sua formação como ser humano, por a infância ser um importante período de formação, "eles estavam o tempo todo dizendo o quanto era importante acreditar em seus sonhos, o quanto todo mundo era igual independente das diferenças, o quanto era importante desejar a paz e não a guerra”. Ela explica que internalizou essas mensagens, mas que elas "só são intrínsecas pra mim hoje porque quando eu tinha 9, 10, 11 anos foram com eles que eu aprendi, foram eles que me influenciaram, que me ensinaram mesmo no sentido mais simples da palavra e mais profundo também, se for pensar”.

Para ambos, Mateus e Mariana, a separação da banda foi um baque emocional. "Acho que a maior tristeza foi perceber que eu jamais iria a um show deles. Por mais que ainda tivesse a turnê de adeus por vir, eu sabia que meus pais não me deixariam viajar por causa de um show”, conta Mateus. Enquanto isso, para Mariana, o primeiro show foi também o último. "A primeira vez que eu fui num show do RBD foi na turnê de despedida, em uma vibe muito triste porque todo mundo estava bastante chateado com isso, então não foi tão feliz esse momento quanto eu achei que seria", relata.

O lançamento do novo single faz parte de um tributo da banda, que contará com uma live paga, em 26 de dezembro, com a participação de quatro dos seis integrantes da RBD. Dulce Maria e Alfonso Herrera não participaram nem do novo single, nem participarão da live. Dulce está grávida e o parto está previsto para a mesma época do evento e Alfonso está focado em sua carreira como ator.

O single surpreendeu os dois fãs de forma positiva. Mateus comenta que tinha medo de se decepcionar e perceber que seu gosto pelas músicas fosse influenciado pela memória afetiva, mas aprovou a música. "Achei interessante como eles cantam sobre a volta de um primeiro amor, podendo ser interpretado ao pé da letra ou como uma mensagem sobre o retorno da banda."

A primeira reação de Mariana ao ouvir a música já foi assistida, no momento que essa matéria é publicada, por mais de 10 mil pessoas. Ela gravou o momento para um vídeo de react (reação), para seu canal no Youtube, "sou basicamente eu chorando por 10 minutos”. Confira o momento:

"Esse talvez tenha sido o vídeo de react mais legal que eu já postei até hoje, porque a reação foi muito genuína de estar emocionada, de sentir sentimentos e sensações que me remetiam a infância, de ouvir essas pessoas juntas de novo cantando, a partir de uma perspectiva que ainda é importante pra gente, e também pela resposta do público”, afirma. Muitos fãs de RBD, que também tiveram a infância marcada pela banda e hoje estão na casa dos 20 e 30 anos, entraram em contato com ela para dizer que se identificaram com a reação. Esse foi o único vídeo em que não recebeu nenhum comentário negativo.

No seu canal, Mariana fala sobre entretenimento, principalmente sobre música POP, e os vídeos de reaction são um tipo de vídeo que o público gosta muito. Ela explica que no início não entendia o que atraía tantas pessoas para esse formato de vídeo. "Hoje em dia eu entendo que é justamente pra você se conectar, serve pra você se conectar com outras pessoas que estão sentindo as mesmas coisas que você, que se importam com aquilo do mesmo jeito que você se importa”. Por isso, quanto mais ela se importa com o artista, geralmente a reação é mais legal.

O ano de 2020 foi muito nostálgico para a geração desses dois. Os lançamentos da indústria do entretenimento incluíram diversos produtos de universos que marcaram os millennials mais jovens. Foram lançados novos livros no universo de Crepúsculo e de Jogos Vorazes, foi anunciada uma adaptação da saga Percy Jackson para o formato de série, foi lançada uma série no universo de High School Musical (High School Musical: The Musical: The Series). "Tem sido interessante no mínimo, porque reviver todas essas coisas, se conectar de novo com esses produtos do entretenimento que marcaram a nossa infância, a nossa adolescência, tem sido quase como um abracinho no coração no meio de um cenário tão difícil, tão triste e tão caótico que tem sido o cenário de 2020”, pontua Mariana.

*Sob supervisão de Fernanda Circhia

Conteúdo relacionado: