MasterChef vira 'tudo ou nada' com vencedor semanal e receitas populares

por Leonardo Volpato - Folhapress
   

Um MasterChef como você nunca viu. A partir das 22h45 desta terça-feira (14), o reality gastronômico da Band retorna em um formato completamente diferente em meio à pandemia do novo coronavírus. Agora, são oito participantes e um vencedor por programa, ao estilo tudo ou nada. Para que pudesse retornar as gravações do MasterChef, a direção do reality teve de pensar maneiras para que a higiene fosse reforçada no programa e que fosse evitado ao máximo o contato entre as pessoas.

Instagram/@masterchefbr

Para isso, a emissora aposta em estações de trabalho separadas, mezanino maior para evitar aglomerações e menos participantes. Nos bastidores há uma comissão multidisciplinar formada por médicos do trabalho, infectologistas e profissionais da área atuando na implementação e nas orientações das normas de saúde e prevenção. De acordo com a diretora, Marisa Mestiço, a temporada é diferente, mas especial. "O desafio era conseguir manter um ambiente seguro para todos. A pandemia veio na hora em que estávamos na pré-produção. Levamos 60 dias para ver como faríamos", conta.

A partir desta sétima temporada dos cozinheiros amadores, não haverá mais provas externas tampouco visitas de chefs aos estúdios para passar provas e desafios. Todos os oito participantes cozinham individualmente numa espécie de mata-mata. Um vencedor por programa levará prêmio de R$ 5.000. Uma instituição de caridade também será ajudada com o mesmo valor. Na edição da terça seguinte, mais oito participantes distintos e um novo campeão.

Outra mudança é que agora os pratos vão ser mais populares com ingredientes facilmente encontrados, por exemplo, em uma cesta básica. A ideia é aproximar o programa da atual condição de muitos brasileiros, sobretudo os afetados pela economia em crise. A chef e jurada Paola Carosella diz que, apesar das mudanças, o público não se afastará da essência do MasterChef. "A culinária é estar junto, mas não precisa estar grudado. Tem mais a ver com se emocionar junto. Sempre foi o cozinheiro cozinhando por ele mesmo. As emoções continuam sendo as mesmas ou até maiores."

Para o chef francês Erick Jacquin, o que não vai faltar é "tômpero". "Os competidores estão nesta oportunidade, a energia segue igual. Parece um verdadeiro concurso de cozinha em que você só tem uma chance. Perdeu está fora. Não tem segunda chance. Parece até o MasterChef da Europa só que sem beijo." Já o jurado e chef Henrique Fogaça diz acreditar que o reality poderá mais do que nunca ajudar quem agora precisa ficar isolado em casa. "Às vezes tem males que chegam para o bem. Com esse caos todo, muita gente acabou obrigado a cozinhar e de certa forma se encontrou. Mostraremos receitas mais triviais aos brasileiros, mais acessíveis."

FAMOSOS E CONEXÃO COM PARTICIPANTES Já que não haverá mais convidados nos estúdios, artistas vão desafiar semanalmente os competidores. Em vídeos, eles pedirão que sejam feitos pratos que tenham a ver com eles e com ingredientes para tirar os cozinheiros da zona de conforto. Ivete Sangalo, Tirullipa, Léo Santana, Fafá de Belém, Wesley Safadão, Dilsinho, Péricles, Elza Soares, Joelma, Pabllo Vittar e Claudia Leitte são algumas celebridades que vão dar os desafios.

"O jogo ficou mais emocionante porque está mais rápido. As pessoas não têm tempo de estudar os jurados ou de se apoiar em uma estratégia para ser apenas mediano e ir passando de fases. Elas se mostram mais rápido, pois estão mais pressionadas. Dá para estabelecer adorações e antipatias num primeiro olhar", destaca a apresentadora Ana Paula Padrão.

Para que o público consiga fazer justamente esse exercício de escolher um candidato para torcer em tão pouco tempo de exposição, Padrão afirma que o programa dará artifícios. "Os caras chegam e logo vão embora. Perdeu, saiu. Mas no início de cada programa tenho uma conversa com cada um e assim é possível ver os perfis para fazer as conexões." Outra mudança, aponta a apresentadora, é que agora as equipes são divididas em duas na hora de entrarem no mercado para as compras. "E eu também vou ter de ficar do lado de fora fazendo a contagem. Todos os protocolos serão seguidos à risca."

PRIMEIRO PROGRAMA

Os oito primeiros participantes são Ali Philipe, 25, Cecília, 39, Cilene, 59, Claudia, 38, Hailton, 28, Jéssica, 29, Saulo, 27 e Thiago, 35. No primeiro episódio, os novos cozinheiros amadores deverão replicar o cardápio favorito de Ivete Sangalo, Thiaguinho e do humorista Tirullipa. Ivete pedirá um clássico prato baiano que sempre comeu desde pequena e que não é nada fácil de se preparar. Thiaguinho vai propor uma receita tradicional que está acostumado a comer toda a semana. Tirullipa os desafiará a preparar uma receita mais regional. Já a dupla sertaneja Fernando e Sorocaba vão pedir um típico prato da roça cheio de tempero.

A primeira prova servirá para eliminar parte dos concorrentes. Na segunda etapa, os cozinheiros que triunfarem terão de provar que têm a culinária no sangue ao elevar o patamar de um prato com os ingredientes de uma cesta básica. O melhor levará o primeiro título da temporada 2020.

Conteúdo relacionado: