Afogados ganha prêmio milionário e estende Carnaval após eliminar Galo

por José Edgar de Matos - Folhapress
   

Afogados da Ingazeira, em Pernambuco, entrou definitivamente no mapa do futebol brasileiro. Na noite de quarta-feira (26), o Afogados, time local, eliminou o Atlético-MG e promoveu a primeira grande surpresa da Copa do Brasil.

Claudio Gomes / Afogados FC

A vitória nos pênaltis mudou a história do clube localizado no sertão pernambucano e de quem está diretamente envolvido com o feito. Uma noite especial que parou a cidade, servirá para aliviar o lado financeiro e vai "terminar" só no domingo (1°) com um Carnaval fora de época.

A folha salarial do Afogados chega a R$ 103 mil por mês. Somente pela classificação para a terceira fase da Copa do Brasil, o time pernambucano embolsou mais R$ 1,5 milhão de premiação. Desta fatia, R$ 250 mil serão direcionados para 41 membros da delegação, entre jogadores, comissão técnica e funcionários, segundo apurou a reportagem.

Ou seja, uma noite de glória valeu mais de um ano de vencimentos para todo o elenco, contando a premiação automática para os classificados para a terceira fase do torneio nacional. Mais do que o lado financeiro, os atletas, que comemoraram no vestiário à lá "Vapo" do flamenguista Gerson, agora se tornaram heróis e vão receber o devido tratamento de ídolos no fim de semana.

Claudio Gomes / Afogados FC

O resultado em si já parou a cidade no dia do jogo. Parte da população foi às ruas do município para comemorar o triunfo sobre os atleticanos em uma carreata iniciada pouco após a partida. Os planos para a comemoração eram maiores -entretanto, esbarraram em questões burocráticas e ficaram para o fim de semana.

Aproveitando-se da estrutura do Carnaval, alguns patrocinadores do Afogados haviam alugado um trio elétrico para promover uma festa em caso de vitória sobre o Atlético, mas viram a ideia ser vetada pelas autoridades por falta de comunicação prévia.

O clima carnavalesco, portanto, acabou remarcado para quatro dias após a heroica classificação, com o trio já devidamente posicionado na Avenida Rio Branco. Na véspera da festa, no sábado (29), o time ainda tem compromisso pelo Campeonato Pernambucano, contra o Sport.

A maior vitória da história do Afogados, coincidentemente, teve como antagonista um adversário indiretamente ligado ao clube. O nascimento do time pernambucano ocorreu no dia de uma derrota tão marcante para a equipe mineira quanto a desta semana.

O Afogados da Ingazeira Futebol Clube foi fundado no dia 18 de dezembro de 2013. Enquanto isso, no mesmo dia, mas 5 mil km distante do interior pernambucano, o Atlético perdia para o Raja Casablanca, no Marrocos, pela semifinal do Mundial de Clubes da Fifa.

Seis anos depois, o protagonismo de uma derrota histórica do Atlético recai sobre o município de 37 mil habitantes, segundo dados de 2017 do IBGE. A emoção dos jogadores era evidente e foi exposta por Eduardo Erê, entrevistado pelo SporTV depois da classificação nos pênaltis.

"Para o Atlético-MG, era mais um jogo; para nós, um prato de comida. Eles poderiam ter uma estrutura melhor, um salário melhor, mas vontade eles não teriam mais que a gente, eu sabia disso. Colocamos isso em campo e agora é comemorar", destacou o jogador.

Depois do triunfo no estádio Valdemar Viana de Araújo, o clube aguarda a definição de quem vai enfrentar na próxima fase para sonhar com uma história ainda melhor neste primeiro ano de participação na Copa do Brasil.

Vale dizer que, se entrou para a história do futebol nacional ao protagonizar a "zebra" da noite na Copa do Brasil, Afogados da Ingazeira tem história nos esportes olímpicos brasileiros, mais precisamente no pentatlo moderno.

Foi na cidade pernambucana que nasceu Yane Marques, medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres-2012 e bicampeã pan-americana ao subir no lugar mais alto do pódio no Rio-2007 e Toronto-2015.

Conteúdo relacionado: