De olho no G4, Londrina quer superar desconfiança contra o Operário

por Tiago Santos - Estagiário*
   

Nos últimos dias de preparação para a partida contra o Operário, neste domingo (15), pela última rodada da 1ª fase do Paranaense, o Londrina ainda lida com a desconfiança. O time está há três jogos sem vencer e o técnico Alemão ainda não encontrou a formação ideal.

Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube

Em 10 partidas pela competição estadual, o Tubarão já utilizou 28 atletas. Além das alterações por questões técnicas e táticas, o time vem sofrendo com lesões e suspensões.

Para o confronto com o Fantasma, o goleiro Matheus Albino está suspenso por cartões amarelos e seu reserva imediato, Alan, está lesionado e segue como dúvida. Nessas condições, a alternativa é o jovem Maltos, de 19 anos.

Apesar dos problemas, o lateral direito Raí Ramos diz que "reservas e titulares trabalham da mesma maneira, então todos do elenco sabem o que fazer. Infelizmente, tivemos muitas lesões. Isso dá uma dor de cabeça, mas acho que todos têm condições de jogar e representar a camisa do Londrina.”

O Londrina ocupa a 6ª posição na tabela, com 15 pontos ganhos. O Operário, que está em 4º e tem 17 pontos, também chega sob pressão para o confronto. Nas últimas duas partidas, em casa, o Fantasma perdeu para o Athletico e empatou com o Toledo.

Dependendo do resultado da partida entre Cianorte e FC Cascavel, uma vitória pode levar o Londrina para a 4ª posição. Assim, o Alviceleste teria vantagem no duelo das quartas de final, que também pode ser contra o Operário.

Por isso, Raí Ramos acredita que o jogo é crucial para a sequência do LEC no campeonato. "A vitória é importante em termos de tabela e de confiança, porque entra no mata-mata com a autoestima lá em cima.”

(*Sob supervisão de Fernanda Circhia)

Conteúdo relacionado: