Estádios de SP não terão volta do público nas fases amarela e verde

por Felipe P., Patrick M. e Rafael B. - Folhapress
   
Freepik

O governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (23) que não vai permitir o retorno do público aos estádios de futebol. A decisão foi tomada na terça (22), de forma unânime, durante reunião do Centro de Contingência ao Coronavírus em São Paulo. De acordo com o comitê, o estado permanece em estado de calamidade pública e não haverá retorno de torcedores aos estádios nas fases amarela e verde do plano de retomada gradual das atividades econômicas.

"Toda a orientação relativa às medidas do Plano São Paulo só será adotada pelo governo quando aprovada pelo comitê. Aqui em São Paulo não há pressão política, econômica, partidária e do esporte. Há vida, existência e proteção aos brasileiros que estão em São Paulo", disse o governador João Doria (PSDB), em entrevista coletiva concedida hoje no Palácio dos Bandeirantes.

A resposta do governo paulista foi dada após a demanda da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) para a liberação de público para a partida entre Brasil e Bolívia, marcada para 9 de outubro. O jogo vale pela primeira rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022. O comitê levou em consideração que a presença de público envolve mais atividades do que simplesmente a ida de torcedores às arquibancadas, como deslocamento, policiamento, ambulantes no entorno e pessoas vindas de outras cidades.

Coordenador do Centro de Contingência ao Coronavírus em São Paulo, José Medina explicou que um evento esportivo desta magnitude juntaria no mesmo local pessoas de diversos locais, incluindo outras cidades. Este encontro facilitaria a disseminação da doença. Ele ainda mencionou que há uma série de atividades paralelas como a montagem de barracas de ambulantes. Na chegada, saída e dentro do estádio seria complicado garantir o distanciamento social. Outro ponto que contribuiu para não não permitir torcida é a concentração de torcedores nos meios de transporte.

José Medina ainda mencionou que países onde a pandemia começou antes, como Inglaterra, Espanha e Portugal, não liberaram a volta do público aos estádios. O coordenador do Centro de Contingência afirmou que será mantido o protocolo aplicado no Campeonato Paulista e depois no Campeonato Brasileiro. Ele ressaltou que este modelo não gerou intercorrências.

Conteúdo relacionado: