Luciano e trave salvam São Paulo de derrota em casa

por Folhapress
   
Rubens Chiri / SPFC

Graças a Luciano e dois pênaltis desperdiçados, o São Paulo se salvou de mais uma derrota no Morumbi para o Red Bull Bragantino na temporada

Nesta quarta (9), com gol do camisa 11, a equipe ficou no 1 a 1 com o time de Bragança Paulista e perdeu a chance de assumir a liderança provisória do Campeonato Brasileiro.

O Bragantino veio à capital paulista e surpreendeu os donos da casa, como já havia feito há menos de 50 dias, quando venceu a equipe de Fernando Diniz por 3 a 2, pelo Estadual, no primeiro jogo oficial de ambos após a paralisação do futebol em razão da pandemia.

A derrota no Paulista deu início ao período de maior instabilidade do São Paulo em 2020, com Diniz ameaçado principalmente após a eliminação para o remendado Mirassol.

O cenário desta quarta, porém, era bastante diferente. Os são-paulinos vinham de uma sequência de quatro vitórias em cinco partidas e, a um ponto do Internacional, ameaçavam a liderança dos gaúchos, que entram em campo nesta quinta-feira (10).

Mas permitir ao São Paulo que chegasse à ponta da tabela não estava nos planos do Bragantino, que contou com noite feliz de um estreante para deixar o Morumbi com o empate.

Raul, volante ex-Vasco que chegou há duas semanas, fez seu primeiro jogo pelo clube de Bragança e abriu o placar no início do segundo tempo.

Raul foi uma aposta de Mauricio Barbieri, que fez sua segunda partida no comando da equipe. Quem não teve noite tão feliz assim foram Claudinho e Artur.

Os visitantes tiveram oportunidade de aumentar a vantagem em pênalti cometido por Luciano, assinalado com a ajuda do árbitro de vídeo após toque no braço do atacante tricolor. Claudinho chutou para fora e desperdiçou. Foi só a primeira de duas penalidades desperdiçadas.

Aos 32 minutos, Luciano teve a chance de se redimir e empatou a partida após falha do goleiro Cleiton, que soltou a bola no pé do camisa 11. Já são quatro gols para o são-paulino no Brasileiro, artilheiro da equipe na competição.

O São Paulo, que ganhou Hernanes a partir do intervalo em seu 300º jogo pelo clube, tentou pressionar o Bragantino, mas assim como na etapa inicial foi pouco efetivo na finalização das jogadas.

A equipe de Barbieri ganhou uma nova penalidade já nos acréscimos, quando Léo derrubou Aderlan dentro da grande área. Artur foi para a cobrança, tirou Tiago Volpi do lance, mas bateu na trave.

O São Paulo vai a 17 pontos e iguala o Internacional, que enfrenta nesta quinta o Ceará, no Beira-Rio, e pode manter a liderança do Brasileiro.

SÃO PAULO

Tiago Volpi, Juanfran, Diego Costa, Léo Pelé e Reinaldo; Tchê Tchê, Igor Gomes (Gonzalo Carneiro) e Gabriel Sara (Hernanes); Vítor Bueno (Paulinho Boia), Luciano e Brenner (Helinho). Técnico: Fernando Diniz

RED BULL BRAGANTINO

Cleiton; Aderlan, Léo Ortiz, Léo Realpe (Ligger) e Edimar; Ricardo Ryller, Matheus Jesus (Raul) e Claudinho; Artur (Uillian Correia), Ytalo (Alerrandro) e Bruno Tubarão (Lucas Evangelista). Técnico: Maurício Barbieri

Estádio: Morumbi, em São Paulo (SP)

Árbitro: Sávio Pereira Sampaio (DF)

Assistentes: Daniel Henrique da Silva Andrade e José Reinaldo Nascimento Júnior (ambos do DF)

VAR: José Cláudio Rocha Filho (SP)

Cartões amarelos: Luciano, Tchê Tchê, Léo Pelé e Lucas Perri (SP); Edimar e Ricardo Ryller (RB)

Gols: Raul, aos 7min do 2º tempo; Luciano aos 32min do 2º

Conteúdo relacionado: