Pandemia pode tirar R$ 53 bi do valor de mercado de futebol na Europa

por Alex Sabino - Folhapress
   

A pandemia de coronavírus pode tirar 9,3 bilhões de euros (R$ 53,3 bilhões) do valor de mercado dos jogadores das cinco principais ligas europeias. Os dados constam em estudo conduzido pelo Football Observatory, composto por pesquisadores do Centro Internacional de Estudos do Esporte, ONG localizada em Neuchatel, na Suíça.

Pixabay

O levantamento considera que o futebol não retornaria na atual temporada europeia (que vai de julho ou agosto até maio do ano seguinte) e que nenhum contrato seria prorrogado a partir do final de junho. Neste cenário, o valor de mercado dos jogadores da primeira divisão na Inglaterra, Alemanha, Espanha, Itália e França cairia 28%. Passaria de 32,7 bilhões (R$ 187,3 bilhões) para 23,4 bilhões (R$ 134 bilhões).

Pelos dados do Football Observatory, o elenco que perderia o maior valor percentual se os campeonatos continuarem paralisados até junho seria o do Olympique de Marselha (FRA). Passaria de 256 milhões de euros (R$ 1,46 bi) no começo de março para 159 milhões de euros (R$ 910,7 mi). Uma redução de 97 milhões de euros (R$ 555 mi), ou de 37% do total.

Em números absolutos, a maior queda seria do Manchester City (ING), que teria o valor do grupo de atletas diminuído em 412 milhões de euros (R$ 2,36 bi). Sairia de 1,36 bilhão de euros (R$ 7,78 bi) e iria para 949 milhões de euros (R$ 5,43 bi).

O cálculo considera os 20 jogadores mais caros de cada clube. A ONG criou um algoritmo para calcular os valores que leva em consideração o tempo de contrato e quanto resta deste, a multa rescisória, a idade, o desempenho em diferentes competições por clubes e seleções (como gols, assistências e minutos jogados) e a progressão na carreira nos anos anteriores.

As maiores perdas são relativas a jogadores com mais idade (não é especificado um número) em contratos curtos ou que terminam em um prazo de seis meses a um ano. Um exemplo é o francês Paul Pogba, do Manchester United. O Football Observatory estima que seu valor de mercado pode cair quase pela metade, de 65 milhões de euros (R$ 372,3 mi) para 35 milhões de euros (R$ 200,4 mi).

Quando foi comprado pelo clube inglês, em 2016, Pogba foi a contratação mais cara da história do futebol: 105 milhões de euros (R$ 601,4 mi em valores atuais).

Entre todos os clubes analisados, o que perderia menos valor de mercado com a paralisação do futebol por causa do coronavírus seria o Brest (FRA). O elenco, que valia em março 66 milhões de euros (R$ 378 mi), passaria para 55 milhões de euros (R$ 315 mi), uma queda de 16,7%.

Veja abaixo, em porcentagem e números absolutos os dez elencos que mais perderiam valor, segundo o Football Observatory.

Em porcentagem:

1. Olympique de Marselha (FRA) - 37,9%

2. Internazionale (ITA) - 35,7%

3. Hellas Verona (ITA) - 34,3%

4. SPAL (ITA) - 34,2%

5. Sheffield United (ING) - 33,2%

6. Bayern de Munique (ALE) e Bétis (ESP) - 33%

8. Lazio (ITA) - 32,8%

9. Leganés (ESP) e Werder Bremen (ALE)- 32%

Em milhões de euros:

1. Manchester City (ING) - 412

2. Barcelona (ESP) - 366

3. Liverpool (ING) - 353

4. Real Madrid (ESP) - 350

5. Paris Saint-Germain (FRA) - 302

6. Manchester United (ING) - 293

7. Internazionale (ITA) - 276

8. Bayern de Munique (ALE) - 267

9. Chelsea (ING) - 251

10. Tottenham Hotspur (ING) - 227

Conteúdo relacionado: