Testes de Covid-19 provocam embate entre Corinthians e Palmeiras

por Folhapress
   
Jaelson Lucas/AEN

Os presidentes do Corinthians, Andrés Sanchez, e do Palmeiras, Maurício Galiotte, tiveram uma discussão nesta segunda (3), na sede da FPF (Federação Paulista de Futebol), a respeito dos testes de Covid-19 antes da final do estadual envolvendo as duas equipes.

Questionado por Galiotte sobre quando os jogadores corintianos seriam testados antes da primeira partida da decisão, marcada para as 21h30 desta quarta-feira (5), Sanchez respondeu que aquilo não aconteceria.

O corintiano argumenta que o clube seguiu o protocolo determinado pela FPF para a volta do futebol no estado. O documento diz que os atletas devem ser testados antes do início do período de concentração para as partidas.

Para Sanchez, o clube está dentro das regras, porque o elenco foi testado para o reinício do campeonato e novamente antes das quartas de final. Depois, entrou em período de concentração em que permanecerá até o final do Paulista.

Diante da insistência de Galiotte, o presidente do Corinthians se irritou e disse que nenhum jogador de sua equipe será novamente examinado.

O Palmeiras tem testado seus jogadores antes de cada jogo, porque não adotou regime de concentração contínua. Os atletas foram liberados para ir para casa ao final das rodadas.

Em nota divulgada em seu site, o Corinthians afirma que cumpriu todo o protocolo da FPF e do governo do estado. "Diferentemente da Sociedade Esportiva Palmeiras, que descumpriu e liberou seus atletas depois de cada partida, o que nunca foi permitido", afirmou a agremiação alvinegra.

No final da tarde desta segunda, a FPF informou que o protocolo foi aceito pelos médicos dos 16 times da divisão de elite do estadual e concordou com a versão do Corinthians de que como os atletas estavam em confinamento, não necessitavam fazer novos exames antes da primeira partida da final.

Mas a entidade disse ter entrado em acordo com as duas equipes para realizar testes antes do segundo jogo, marcado para o próximo sábado (8).

Em 21 de junho, ao fazer testes antes da reapresentação do elenco para iniciar a preparação para a volta do futebol, o Corinthians afirmou que 21 atletas já tinham sido infectados pelo coronavírus, número que chamou a atenção num total de cerca de 30 jogadores.

Na mesma época, o Palmeiras divulgou quatro casos no seu elenco. Semanas depois, o volante corintiano Cantillo recebeu diagnóstico positivo e desfalcou o time na retomada do torneio.

A reportagem tentou ouvir o presidente Mauricio Galiotte sobre o assunto, mas não obteve contato até o momento.

Palmeiras e Corinhtians vão decidir o título estadual em dois jogos. Na quarta, o confronto será às 21h30, em Itaquera. A partida de volta será sábado (8), às 16h30, na arena alviverde.

A questão dos testes de Covid-19 reacende polêmicas das finais de Paulista entre os dois times. Na última vez em que isso aconteceu, em 2018, o Palmeiras tentou reverter o resultado do jogo no tribunal da FPF.

A diretoria disse ter havido influência externa da arbitragem para anular um pênalti marcado para o Palmeiras no Allianz Parque. O Corinthians foi campeão naquele ano, assim como em 2017 (sobre a Ponte Preta) e 2019 (contra o São Paulo).