Atleta de Londrina assina com um dos maiores clubes de beisebol dos EUA

por Redação Bonde com assessoria de imprensa
   
Divulgação

Sulivan Almeida, de 17 anos, tornou-se o mais novo brasileiro a assinar um contrato profissional com um time da MLB (Major League Baseball), maior liga de beisebol do mundo. O jogador firmou acordo na última sexta-feira (15), com o Oakland Athletics, um dos mais tradicionais clubes da costa oeste norte-americana.

O jogador é apontado como uma das maiores revelações do beisebol brasileiro. Sulivan tem 1,92 metro de altura, é canhoto e com apenas esta idade já arremessa a bola a mais de 150 km/h. "É uma combinação de talento e dedicação. Além disso, é um menino humilde que busca sempre aprender, uma joia rara", definiu o técnico Fernando Fukuda.

O jogador foi descoberto num projeto social desenvolvido pela Acel (Associação Cultural e Esportiva de Londrina). Seu talento chamou a atenção logo cedo, de modo que, desde 2014, integra o elenco de jovens atletas que se aperfeiçoam no centro de treinamento da seleção brasileira, em Ibiúna, São Paulo.

A coletiva de apresentação da jovem promessa será realizada neste sábado (22), na Acel de Londrina. Na oportunidade, também será anunciada a realização de um campeonato internacional de beisebol em Londrina.

Quem é ele?

Sulivan Almeida é nascido na cidade de Colorado, 120 km de Londrina. Desde pequeno possui uma história de superação. Filho de pais divorciados, o adolescente viveu em um bairro periférico da zona sul de Londrina. Foi numa escola pública que ele conheceu o beisebol aos 8 anos de idade e então passou a frequentar um projeto social que desenvolvia o beisebol com crianças carentes, uma parceria entre a Acel e a FEL (Fundação de Esportes de Londrina).

Aos 12 anos, Sulivan já se destacava em campeonatos pelos quatro cantos do país. A facilidade em arremessar bolas rápidas levou o garoto para longe. Ele foi convidado a participar do elenco de jovens talentos, que são lapidados no centro de treinamentos da seleção brasileira, em Ibiúna, São Paulo.

Aos 15 anos, Sulivan perdeu a mãe, em decorrência de um AVC (Acidente Vascular Cerebral), e no beisebol juntou forças para continuar a vida e realizar a promessa que fez de se tornar um jogador profissional.

Conteúdo relacionado: