Atletas tiram a barba para evitar vírus: será que funciona?

por Tiago Santos - Estagiário*
   

Em meio a tantas dúvidas sobre métodos que evitem a disseminação do coronavírus, circulou nas últimas semanas uma orientação para que os homens tirem a barba. Nas redes sociais, vários atletas aderiram ao visual de cara limpa e lançaram o desafio para os colegas barbudos.

Reprodução / Instagram

Os jogadores de vôlei Wallace e Bruno Rezende publicaram a transformação em seus perfis no Instagram e incentivaram outras pessoas a fazer o mesmo. O gesto foi repetido pelo ex-atacante e comentarista Grafite, além de profissionais da televisão, como Danilo Gentili e Felipe Andreoli.

O argumento para manter o rosto liso é que a barba dificultaria a higiene e manteria por mais tempo as secreções que carregariam o vírus.

Porém, de acordo com o infectologista Philipe Bellinati, do hospital Evangélico de Londrina, "não há relatos que impliquem a barba como transmissor do coronavírus. Quem requer maiores cuidados são os profissionais de saúde, que precisam usar máscaras".

"Devido à presença da barba, a máscara pode perder a capacidade de vedação do material, o que pode diminuir sua capacidade de filtrar vírus e impurezas. Para os homens que não sejam profissionais de saúde, a menos que necessitem usar máscara, a simples higiene com água e sabão é suficiente para limpar a barba. Lógico, além de mantê-la curta ou aparada, o que facilita essa higienização”, explica Bellinati.

A recomendação é semelhante para o cuidado com os cabelos. Segundo o médico, "já há protocolos que orientam uso de cabelos presos, conforme orientação dos Serviços de Controle de Infecção Hospitalar. Durante atendimento aos pacientes com suspeita de coronavírus, orienta-se uso de toucas. No caso da população em geral, não há necessidade. Apenas uma higienização e lavagem adequada já é suficiente.”

*Sob supervisão de Larissa Ayumi Sato.

Conteúdo relacionado: