Dia do Paraquedista: veja entrevista com instrutor que coleciona 3 mil saltos

por Nicoli Suman - Estagiária*
   

Apesar disso, ele tem notado uma mudança significativa na ideia que os outros têm. Muitas pessoas curiosas aceitam os convites do instrutor para conhecer a área de saltos, e acabam querendo se aventurar também. A professora de inglês Glaucia Alecrin Timoteo Silva, 35, sempre gostou de esportes radicais. Ela não chegou a praticar um com frequência, até que em 2015 decidiu fazer um salto duplo. "Assim que pisei no chão pensei: 'Nossa, quero fazer isso sozinha!', e comecei as aulas de paraquedismo", relatou. Gláucea iniciou o curso em agosto e hoje está na metade do curso. "A sensação é incrível! Uma mistura de medo, liberdade, senso de responsabilidade, superação, felicidade e plenitude!”, descreveu.

Vera Shiewaldt

O paraquedista Laercio explica que alunos iniciantes precisam assistir em média 10 horas de aula para conhecimento básico, depois acompanham o briefing, a reunião antes do salto. Após superarem os sete níveis exigidos, eles estão aptos a executarem salto solo sob supervisão de um instrutor. Entretanto, existe forma mais rápida e tranquila de conhecer o paraquedismo. Através do ‘Salto Duplo’, o passageiro não tem obrigações ou encargos e desfruta de todas emoções e sensações de um paraquedista.

Laercio realiza a maioria de seus saltos no Aeroporto 14 Bis, na Warta, mas também não dispensa outras paisagens do Brasil e exterior. Geralmente ele salta de aviões, e já experimentos saltos de outros tipos como, de balões, helicópteros, ultraleves, trikes e outros. O paraquedista faz parte da associação de paraquedismo @flyparaquedismo.

*Sob supervisão de Fernanda Circhia

Conteúdo relacionado: