Mesmo cancelado, Wimbledon distribui R$ 68 milhões a 620 tenistas

por Folhapress
   

O Wimbledon, que teve sua edição de 2020 cancelada por causa da pandemia de Covid-19, anunciou nesta sexta-feira (10) que pagará premiações a 620 tenistas cujas posições nos rankings permitiriam que eles participassem do evento.

Cada um dos 256 atletas (128 homens e 128 mulheres) que poderiam entrar na chave de simples receberá 25 mil libras (R$ 169 mil). Para os 224 que entrariam na fase de qualificação, o valor será a metade disso.

Unsplash

Também serão remunerados 120 atletas que disputariam as chaves de duplas e 20 que participariam do torneio para tenistas em cadeira de rodas. O total pago pela organização do Grand Slam (All England Lawn Tennis and Croquet Club, ou AELTC) ultrapassará 10 milhões de libras (R$ 68 milhões).

Em abril, foi noticiado que um seguro pago pelos organizadores ao longo de 17 anos resultaria em uma indenização de US$ 141 milhões (R$ 754 milhões) para cobrir o prejuízo com o primeiro cancelamento da competição desde a Segunda Guerra Mundial.

"Imediatamente após o cancelamento do campeonato, voltamos a nossa atenção para como poderíamos ajudar aqueles que ajudam a fazer Wimbledon acontecer. Sabemos que esses meses de incerteza têm sido muito preocupantes para esses grupos, incluindo os jogadores, muitos dos quais enfrentaram dificuldades financeiras durante esse período", afirmou Richard Lewis, chefe do AELTC.

"Estamos satisfeitos que nossa apólice de seguro tenha nos permitido reconhecer o impacto do cancelamento nos jogadores e que agora estejamos em posição de oferecer esse pagamento como recompensa pelo trabalho árduo", completou.

Nas últimas semanas, Wimbledon anunciou uma série de contribuições para trabalhadores do evento e para outros setores da sociedade britânica, entre elas a doação de toalhas, bolas e também dos tradicionais morangos que seriam usados ou consumidos ao longo das duas semanas de competição.

Conteúdo relacionado: