Funciona? Conheça os mitos da alimentação low carb

por Dra. Luanna Caramalac Munaro
   

A dieta low-carb, popularmente conhecida pela baixa ingestão de carboidratos, pode prevenir e até reverter danos cerebrais relacionados à idade, segundo pesquisa da Universidade de Stony Brook, de Nova Iorque, EUA. Ao analisar exames, pesquisadores descobriram que as vias cerebrais começam a se deteriorar aos 40 anos, mais cedo do que era imaginado.

Pixabay

Usando exames cerebrais de quase 1000 pessoas entre 18 e 88 anos, os pesquisadores descobriram que o dano às vias neurais se acelerava dependendo de onde o cérebro estava obtendo energia. Também foi revelado que a glicose diminuía a estabilidade das redes do cérebro, enquanto as cetonas, produzidas pelo fígado durante período de dietas restritivas ao carboidrato, tornavam as redes mais estáveis.

"Quando se ouve falar em dietas Low Carb, muita gente se apavora por conta dos preconceitos e mitos que giram em torno desse tipo de alimentação”, explica.

Veja alguns mitos em relação a este estilo de vida:

1 - A redução de carboidratos diminui a energia?

MITO. As gorduras boas são uma excelente fonte de energia para o organismo, sendo mais estáveis e duradouras que os carboidratos.

2 - É necessário ingerir muita proteína?

MITO. A alimentação Low Carb não é baseada em proteínas e a verdade é que a quantidade de proteína tende a não se alterar. Sua base principal são os vegetais em equilíbrio com as gorduras, sendo inclusive possível manter uma dieta Low Carb vegetariana.

3 - Não pode ingerir carboidratos?

MITO. É LOW Carb, não NO Carb. A menos que queira uma dieta cetogênica, onde a quantidade de carbos é limitadíssima, carbos de boa qualidade e IG mais moderados são totalmente pertinentes.

"Contudo, lembre-se que as indicações dependem de uma análise individual. Como qualquer dieta ou estratégia alimentar, a dieta low carb deve sempre ter o acompanhamento nutricional, para que não haja problemas com a sua saúde", finaliza Caramalac.

Conteúdo relacionado: