Apresentadora diz que Encantadores de Pets é vitrine para incentivar adoção de animais

por Ana Beatriz Gonçalves - Folhapress
   
Freepik

Apaixonada por animais desde criança, a atriz e apresentadora Jacqueline Sato, 32, está nas nuvens com o seu novo programa na Band, Encantadores de Pets. A atração, que aborda o adestramento de bichinhos de estimação, também incentiva a adoção de animais.

Sato diz que juntar duas paixões é uma grande oportunidade para a sua carreira. "Sempre pensei em usar a minha visibilidade para chamar atenção à causa. Fiquei feliz de poder levar um animal para adoção em cada episódio. Usar esse espaço para divulgar o trabalho das instituições e ONGs também é incrível", afirma a apresentadora, em entrevista à reportagem.

Formada em rádio e TV e artes cênicas, Sato teve sua primeira experiência na televisão aos 12 anos, quando comandou o programa "Sessão Super Heróis" (CNT), e, ao longo da sua trajetória, ela também já atuou em novelas como "Corações Feridos" (SBT, 2012), "Sol Nascente" (2016-2017) e "Orgulho e Paixão" (2018), ambas da Globo.

Exibido aos sábados, às 15h, na Band, Encantadores de Pets mostra episódios de dois programas internacionais -Encantador de Cães, apresentado pelo mexicano Cesar Millan, e "Meu Gato Endiabrado", sob o comando do norte-americano Jackson Galaxy. "Temos vontade de trazê-los para gravar no Brasil. Quem sabe mais para frente... não é algo concreto, mas queremos."

Conhecido internacionalmente por seus trabalhos com felinos há mais de 20 anos, dentro e fora da televisão, Jackson Galaxy, 54, diz estar feliz com sua atração na Band. "Quando o programa se tornou internacional, há cerca de sete anos, o primeiro lugar de que ouvi falar foi o Brasil. Descobrir que as pessoas gostavam foi um pouco chocante [risos]. O mais legal é que agora todo mundo vai poder assistir, principalmente quem não possui Animal Planet [canal pago]. Isso é um grande passo", diz Galaxy à reportagem.

Com sete gatos, três cachorros e uma tartaruga em casa, Galaxy, tal qual Jacqueline Sato, é apaixonado pela causa animal. Ele afirma que a adoção passou a ser mais debatida na sociedade e avalia que hoje há uma compreensão diferente do assunto.

"Houve uma mudança na mentalidade. Os animais são vistos como membros da família. Realmente não consigo explicar o quanto isso é importante, porque sabemos que muitos deles são maltratados nas ruas. "Além de ser um grande defensor do resgate de animais, Galaxy também é vegano (não consome produtos de origem animal). "Estou no veganismo há apenas oito anos. Fui incentivo pela minha mulher, ela também ama os animais, por isso temos tantos em casa."

Jackson Galaxy concorda que o nome do seu programa contribui, de certa forma, com o pensamento de que os gatos são ariscos e bravos, diferentemente dos cachorros, mas explica que a ideia é chamar a atenção do público para justamente mostrar o oposto.

"Apesar de o meu programa se chamar 'My Cat From Hell' ('meu gato endiabrado', em tradução livre), queremos mostrar como eles são amáveis, ao contrário de suas reputações. Esse é um dos problemas, as pessoas querem que os gatos se comportem como cachorros, mas eles não são cachorros [risos]. Ao longo dos anos esse é o meu trabalho: fazer com que os donos entendam a forma como eles demonstram amor", diz o apresentador.

Jacqueline Sato não se esquece do seu primeiro contato com a causa dos animais, quando, ainda criança, resgatou uma ninhada de gatos. Hoje, mãe de felinos e também de cachorros, Sato se diz orgulhosa por estar ao lado de "dois gigantes e mundialmente renomados especialistas em comportamento animal". E para ela, o programa não ajuda apenas os pets mas também os humanos. "Eles [animais] são capazes de mudar a gente, mudar o nosso dia, o nosso humor. É realmente incrível e estou animada."

Conteúdo relacionado: