Arqueólogos descobrem geoglifo de gato de 200 a.C. a 100 a.C., em Nazca, no Peru

por Sílvia Haidar - Folhapress
   
Freepik

Mais uma demonstração da grandiosidade e de adoração aos gatos ao longo dos séculos foi encontrada. Desta vez em Nazca, cidade no centro-sul do Peru. O enorme desenho do felino, datado entre 200 a.C e 100 a.C, foi descoberto durante uma obra de profissionais da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) para melhorar o acesso a uma das colinas que serve de ponto de observação para outros geoglifos da região.

A gravura tem 37 metros de comprimento e linhas bem definidas, de 30 cm a 40 cm de largura. Patrimônio Mundial da Unesco desde 1994, as linhas de Nazca, compostas por centenas de imagens geométricas e zoomórficas, foram descobertas removendo rochas e terra para revelar os desenhos abaixo. Elas ficam a 400 km ao sul de Lima e cobrem cerca de 450 km² da árida planície costeira do Peru.

"A figura era quase invisível e estava prestes a desaparecer porque está situada em uma encosta bastante íngreme, que está sujeita aos efeitos da erosão natural", disse o Ministério da Cultura do Peru em um comunicado à imprensa. Na semana passada, o geoglifo foi limpo e revelou uma figura felina de perfil, com a cabeça voltada para a frente. Segundo Johny Isla, arqueólogo da Unesco no Peru, o uso de drones tem facilitado as descobertas recentemente.

Conteúdo relacionado: