Chuvas elevam risco de doenças de pele e leptospirose em cães

por Lívia Marra - Folhapress
   

A época de chuvas pede cuidados redobrados com os cães. Isso porque a exposição à água contaminada pode causar doenças.

Reprodução/Pixabay

Enquanto alguns animais têm medo da chuva - especialmente por causa dos trovões -, outros adoram brincar na água. Há, ainda, aqueles que não fazem as necessidades em casa e precisam dar uma voltinha, ainda que a rua esteja molhada.

Aí é que está o perigo. De acordo com Thaís Matos, veterinária da DogHero, o fator de risco das chuvas não é a água em si, mas sua possível contaminação. No período de chuvas, algumas doenças se tornam mais frequentes, como problemas de pele e leptospirose. "O cão pode contrair bactérias, micro-organismos e parasitas, o que pode levá-lo a desenvolver sintomas dessas enfermidades", afirma.

A veterinária lista algumas dicas para manter a saúde do pet em meio à chuva. Primeiro, é importante que o tutor proteja o cão durante os passeios. Se sair de casa for indispensável, o ideal é investir em um guarda-chuva específico para o animal. Como as patinhas permanecerão expostas, a orientação é fazer a higienização assim que voltarem para casa, evitando frieiras e outras doenças.

Além disso, não deixe o animal matar a sede em poças. Portanto, lembre-se de sempre levar uma garrafinha com água para o passeio.

Cuidado com banhos e com a secagem. Excessos, somados a uma secagem ineficiente, podem fazer mal ao bicho, que pode desenvolver alergias e até gripe. Pelos bem aparados ajudam na proteção.

Mantenha o pet longe de áreas alagadas e tenha atenção com o risco de leptospirose. A doença, que pode ser fatal, é causada pela bactéria Leptospira, presente na urina de ratos e transmitida sobretudo em inundações. A veterinária diz que, apesar de não serem 100% eficazes, as vacinas V8 e V10 previnem a leptospirose.

Conteúdo relacionado: