Entenda a importância do protetor solar para cães

por Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
   

Os dias de calor envolvem muita diversão, praia, passeios, viagens de férias e uma lista de coisas que são mais bem aproveitadas no verão. Nesse cenário, existe um elemento em especial que merece atenção, sobretudo quando se trata de cachorro: o sol.

Reprodução/Pixabay

Assim como acontece conosco, os raios ultravioleta podem prejudicar a pele dos pets. Os cães também podem sofrer queimaduras e desenvolver câncer de pele se não receberem os devidos cuidados de proteção, especialmente na estação mais quente do ano.

Para evitar os problemas ocasionados pela exposição ao sol, o uso do protetor solar é uma das melhores alternativas. Saiba mais sobre esse produto indispensável para seu melhor amigo e descubra quais medidas devem ser tomadas para mantê-lo seguro e saudável durante o verão.

Importância do filtro solar - O filtro solar para cães é muito semelhante aos que são produzidos para humanos. Os objetivos também são os mesmos: impedir que os raios UVA penetrem na derme, que é a camada interna da pele e que os raios UVB atinjam a epiderme, camada externa.

Isso quer dizer que o produto vai impedir que o pet desenvolva, além do câncer, problemas relacionados à dermatite, que consiste em uma ferida causada pelo excesso de exposição ao sol.

O filtro solar deve ser utilizado em todos os tipos de cães?

O produto pode ser passado em todos os cães. Algumas raças, como dálmata e dog argentino, merecem cuidados redobrados. O mesmo vale para os pets de pelagem curta, branca e de pele clara.

Cães mais sensíveis aos raios UVA e UVB devem receber esse tipo de proteção no ano todo, independente se houver ou não sol. Para saber se seu amigo precisa desse tipo de cuidado permanente, não deixe de se informar com o médico veterinário.

Se seu amigo tiver pelagem dupla, você também deve conversar com o veterinário a respeito. Esse tipo de pelagem é composto de duas camadas para proteger o pet tanto do calor quanto do frio. Pode ser que haja necessidade do uso frequente de protetor.

Como escolher o melhor protetor solar para cães?

Quanto mais alto for o fator de proteção, mais protegido o cão estará, mesmo se ele não fizer parte do grupo dos mais sensíveis. O ideal é escolher um produto que seja à prova de água e, além disso, prefira os protetores solares de rápida absorção e que não seja pegajoso.

Em relação aos preços, eles são bem parecidos com os de filtro solar para humanos. O valor depende do fator de proteção. Fatores menores custam menos. No entanto, não protegem com a mesma eficácia dos produtos com fatores mais elevados.

Como aplicar o filtro solar nos pets?

A primeira coisa que você deve ter em mente é que a função do protetor solar para pets é a mesma em relação aos humanos. Entretanto, isso não significa que você deve usar o mesmo produto que o seu no seu pet.

Jamais passe protetores comuns nos cachorros. Os componentes químicos não são os mesmos e, além de não agir com a mesma eficácia, a propensão de o pet lamber e se intoxicar ou de apresentar reações alérgicas é grande.

Passe o produto toda vez que levar seu amigo para passear. Caso esteja em um local onde há exposição constante ao sol, repasse o filtro solar 3 ou 4 vezes ao dia. Mesmo que seu amigo não saia de casa e fique muito tempo no quintal e na varanda, é preciso seguir esse mesmo processo.

Espalhe o filtro por todo o corpo do animal. Dê atenção especial às partes onde não há muito pelo, como focinho, orelhas e barriga. Tome muito cuidado com a região dos olhos e nariz, já que essas partes são extremamente sensíveis.

O ideal é aplicar o produto 30 minutos antes da exposição. Esse tempo vai garantir a penetração eficaz do produto na pele. Tome cuidado para o pet não se lamber. O melhor é distraí-lo com brincadeiras e petiscos.

Cuidados extras - Além da proteção solar, garanta que seu cãozinho esteja hidratado e bem alimentado, principalmente nos dias em que os termômetros indicam altas temperaturas. Mantenha o recipiente sempre limpo e com água fresca.

As patas também merecem cuidado redobrado. Os coxins, quando em contato com chão quente, podem sofrer queimaduras. Portanto, prefira passeios no final da tarde, em que o solo já está mais fresco. Outra opção é o uso de sapatinhos.

Por fim, evite expor o animal ao sol em horários mais críticos. Prefira os horários até às 10h e depois das 16h.

Com esses cuidados, seu amigo estará longe de perigos e vocês poderão aproveitar os dias com muito mais tranquilidade e diversão. Caso tenha alguma dúvida, leve-o a uma clínica veterinária e se informe com o especialista em dermatologia canina.