Muito calor? Saiba como cuidar dos pets em dias quentes

por Lívia Marra - Folhapress

Dias quentes são uma delícia para passear e fazer atividades ao ar livre. No entanto, quando a temperatura sobe demais, vem aquela vontade de fazer nada e até um mal-estar. Com os animais não é diferente. Eles também sofrem com o calorão e precisam de cuidados especiais.

Reprodução/Pixabay

Hidratação é fundamental. Se o bichinho é do tipo que bebe pouca água normalmente, vale incentivar e oferecer a ele com frequência. Além disso, a rotina - sua e do pet - pode precisar ser alterada, pelo bem da saúde. Já ouviu aquela pergunta: você andaria descalço no asfalto quente? Então por que seu cachorro pode andar?

Isso é assunto sério. Mudar o horário do passeio ou optar por caminhos com mais sombra pode evitar dor e ferimento no animal.

O solo quente pode queimar os coxins - as almofadinhas das patas -, o que pode levar à infecção.

Pulgas, carrapatos e mosquitos também podem ser problemas no calor. Há produtos preventivos e repelentes, que devem ser usados com orientação do veterinário. Apenas o profissional saberá avaliar o medicamento e a quantidade indicada conforme as condições físicas e o porte do animal.

E, se você viajar na companhia do amigo peludo, lembre-se de que há regras a serem seguidas no transporte - o animal deve ir no banco traseiro, em cadeirinha específica - e cuidados com o destino. À praia, por exemplo, os bichos podem ir desde que sejam aceitos no local. Entretanto, é preciso ter atenção, já que a praia pode ser uma fonte de problemas dermatológicos.

Outra dica é ficar de olho nos animais quando eles estiverem nadando. Embora seja natural os bichinhos baterem as patinhas na água e algumas raças terem mais habilidade para a natação, há animais que precisam de ajuda e outros que correm riscos se não forem observados por seus tutores.

Por esses e outros motivos, é preciso ter muito cuidado no verão e hidratar os bichinhos, até porque, em dias quentes, os animais podem ter uma hipertermia - a temperatura corporal aumenta, podendo causar até mesmo a morte.

Hidratação - Ofereça líquidos e deixe o animal em lugares frescos e com sombra; cães não transpiram através da pele.

Sem exercícios no sol! - Passeios devem ser feitos antes das 9h ou quando a incidência do sol for menor; não leve o animal para correr, pois pode haver hipertermia (aumento da temperatura corporal), o que pode levar à morte.

Filtro solar - A pele dos pets sofre com a ação dos raios solares e deve ser protegida; os bichos podem sofrer queimaduras nas almofadinhas das patas; consulte o veterinário.

Alimentação - O alimento estraga mais rápido no calor; ingerir comida imprópria pode causar diarreia e vômito no animal; ofereça ração em horários regulares e retire o que não for consumido.

Focinho curto - Algumas raças, como pugs e buldogues, têm maior predisposição a dificuldade respiratória; seja cauteloso com exercícios físicos e não force o ritmo do animal.

Pulgas e carrapatos - O calor é propício para a proliferação de pulgas, carrapatos e moscas, que causam doenças; há produtos veterinários para proteger o pet, que devem ser aplicados sob orientação do veterinário.