Pesquisa mostra que 1 a cada 3 cães tem algum tipo de sensibilidade

por Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
   

Após a condução de uma pesquisa global realizada com mais de dois mil cães, a Royal Canin®, líder em nutrição saúde para gatos e cães, identificou que um a cada três cães têm algum tipo de sensibilidade como, por exemplo, digestiva, cutânea, como coceiras e irritações, e relacionadas ao peso.

Reprodução/Pixabay

Os dados mostram que 56% dos cães estão acima do peso, 12% têm sensibilidades digestivas, 45% vivem em áreas urbanas com contato a diversas fontes de estresse, e 17% apresentam sensibilidades na pele.

Ainda segundo o estudo, quando perguntado aos tutores o que eles mais desejam aos seus pets, 58% desejam uma vida livre de lesões e doenças; 58% uma vida longa; e 32% uma vida ativa.

"Grande parte desses cães que desenvolvem algum quadro clínico de saúde poderiam ter a doença evitada ou retardada. Em muitos casos, a resposta para controlar esses quadros e impedir que se tornem uma doença está na nutrição", comenta Natália Lopes, médica-veterinária e líder da área científica da Royal Canin® Brasil.

É importante que o tutor fique atento e saiba como reconhecer o surgimento de possíveis sensibilidades na saúde do seu pet. "Sinais simples como ganho de peso, pele mais avermelhada e pelagem opaca podem ser o indício inicial de um problema mais grave”, explica Natália.

Precisão nutricional

Você já deve ter ouvido a expressão "você é o que você come”, no sentido de que aquilo que você escolhe para nutrir o seu corpo reflete diretamente na sua saúde e bem-estar. Isso não é diferente para os cães.

A precisão nutricional para cada pet faz muita diferença em sua qualidade de vida e longevidade. Atualmente, no mercado, existem alimentos que são coadjuvantes ao tratamento de doenças, assim como alimentos para cães saudáveis que não possuem uma sensibilidade desenvolvida, ou seja, em sua fórmula existem ingredientes que vão contribuir com a manutenção do estado saudável atual do animal. "Por exemplo, alimentos ricos em ômega 3 e 6 que contribuem com a saúde da pele", explica Natália.

A médica-veterinária explica que o mercado ainda não contava com alimentos úmidos para casos em que o cão já tem a sensibilidade desenvolvida, mas que ainda não entrou em um quadro clínico que possa ser considerado uma doença. Hoje, o único alimento no Brasil para uma situação específica como essa, é a pioneira linha de sachês Canine Care Nutrition, da Royal Canin®.

"Os tutores, ao perceberem alguma das sensibilidades apresentadas em seus pets, sem sintomatologia clínica, podem oferecer o alimento especial. A recomendação é fazer uso exclusivo da linha para obtenção de resultados. Ela não substitui os alimentos coadjuvantes ao tratamento de doenças da Linha Veterinária, prescrita pelo médico-veterinário, assim como também não é recomendado o uso combinado entre elas. Se os sintomas de sensibilidade persistirem, é sempre importante consultar um médico-veterinário”, orienta Natália.

Conteúdo relacionado: