Projeto que permite presença de animais de estimação em escolas é aprovado em São Paulo

por Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
   

O projeto que prevê a instituição de uma Educação Mediada por Animais, em que serão ministrados conhecimentos relacionados com a proteção dos animais, contando com a presença de um bicho de estimação nas escolas paulistas e transformando o ambiente escolar em "Pet Friendly”, foi aprovado pela Comissão de Educação e Cultura da Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo).

Reprodução/Pixabay

Inspirada no projeto "Cãolega”, implantado com sucesso no Recife em Pernambuco, a deputada estadual Leticia Aguiar (PSL) teve o Projeto De Lei Nº 853, DE 2019, de sua autoria, e que institui o programa "AmiCão” nas redes pública e particular de Ensino do estado de São Paulo, aprovado pela Comissão de Constituição Justiça e Redação e pela Comissão de Educação e Cultura, o projeto agora segue para a Comissão de Finanças e Orçamento , antes de seguir para análise de todos os deputados e votação em plenário.

EMA - Educação Mediada por Animais

EMA é um recurso pedagógico inovador, que busca compreender como pais e professores analisam a contribuição do cão, a partir do processo de terapia mediada, para a aprendizagem e o desenvolvimento das funções cognitivas dos estudantes com deficiências ou necessidades educacionais especiais.

Acredita-se que a EMA possibilita muitos benefícios em muitas áreas do desenvolvimento humano, em especial no aspecto cognitivo e emocional, podendo favorecer a inclusão de alunos por ser uma abordagem muito útil e de grande eficácia para a melhora do sujeito em diferentes quadros de deficiências, transtornos e patologias

AmiCão

O Projeto AmiCão, também tem a assinatura do deputado delegado Bruno Lima, que assim como Letícia Aguiar, é um forte defensor da causa animal. Para o deputado, o projeto é importante porque tem como foco a conscientização da população com relação ao combate a crimes contra os animais de estimação.

"É importante chamar a atenção para os crimes de maus tratos e tráfico de animais, temos a obrigação de olhar para a educação e a formação dessas crianças”, disse.

Com o projeto, o Governo do Estado poderá adicionar uma disciplina na grade curricular das escolas em que serão ministrados conhecimentos relacionados com a proteção dos animais, contando com a presença de um bicho de estimação em sala.

"Entendemos que a presença desses novos integrantes nas escolas é importante para convívio dos alunos e contribuirá para que crianças e adolescentes com Síndrome de Down; Déficit de Atenção; Autistas, ou algum retardamento de desenvolvimento, sintam-se incluídos dentro da comunidade estudantil e utilizem essa nova disciplina como uma espécie de tratamento e acompanhamento complementares” declarou a deputada Leticia Aguiar.

As escolas podem ser "Pet Friendly”?

A expressão em inglês ‘pet friendly’ virou moda e caracteriza os lugares como "amigos dos animais”.

A ideia não é novidade e se relaciona com uma série de questões que envolvem o universo pet e a educação, que vão desde a responsabilidade social, o abandono de animais, a aprendizagem e o desenvolvimento cognitivos dos estudantes com deficiências ou necessidades especiais, bullying, até o desenvolvimento do senso de responsabilidade, além da possibilidade de preparar as crianças emocional e socialmente.

Conteúdo relacionado: