Tendência pós pandemia: aumenta número de brasileiros que querem viajar com os pets

por Redação Bonde
   
iStock

Após um longo período em casa na companhia de seus pets durante a quarentena, a maioria das pessoas pretende levar seus fiéis companheiros nas viagens pós-pandemia, segundo uma pesquisa realizada pela Hoteis.com. Mas, algumas observações devem ser feitas na hora de levar o seu bichinho para viajar, especialmente se for de avião.

No Brasil, as regras para levar o seu pet na cabine varia de acordo com a companhia aérea escolhida. Enquanto a LATAM permite o transporte de animais com até 10kg, a Azul permite até 5kg, por exemplo. Animais maiores que isso, devem ir nos compartimentos inferiores da aeronave.

Nos casos de cão-guia a regra muda e o animal pode ir acompanhando o seu tutor em todas companhias e para todos os destinos, seja internacional ou nacional. Já os animais de apoio emocional, apenas podem viajar na cabine no caso de vôos para o exterior, e o país não tem uma legislação específica para estes casos.

Ainda de acordo com a pesquisa da Hoteis.com, cerca de um terço dos entrevistados afirmou que teve um aumento na sensação de estresse por terem que se afastar ou separar do seu pet após a quarentena. Em resposta a este comportamento, houve um aumento de 300% na procura por hotéis pet friendly.

Antes de viajar com seu bichinho, é necessário levá-lo ao veterinário para exames de rotina e verificar se está tudo bem com a saúde do seu pet. Manter as vacinas em dia também é necessário. Caso o seu animal de estimação seja agitado, converse com o médico veterinário sobre a possibilidade da administração de calmantes para tornar a viagem o mais tranquila possível, principalmente em trechos mais longos.

Alguns documentos, como o Formulário de Solicitação para Transporte de Animais, atestado sanitário e carteira de vacinação também devem ser apresentados. Para o bem-estar do seu pet, certifique-se de que a caixa transporte seja do tamanho certo, de forma que o bichinho fique o mais confortável possível, garantindo a ventilação adequada e a disponibilidade de água. Cuidado redobrado com raças braquicefálicas, como pugs, bulldogs, shih tzus e alguns sem raça definida, que costumam ter dificuldades respiratórias.

Uma atenção a mais também deve ser dada para a alimentação algumas horas antes do embarque, a fim de evitar que o seu animal de estimação passe mal. Para tornar a viagem ainda mais segura tanto para você quanto para o seu pet, o indicado é contratar um seguro viagem que cubra quaisquer eventualidades ou problemas que possam ocorrer durante o percurso.

Conteúdo relacionado: