Como a infecção urinária evolui para a pielonefrite, diagnóstico da cantora Ludmilla

por Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
   

De acordo com João Correia, urologista da QualiMedi Saúde, a infecção urinária quando não tratada corretamente pode evoluir para a pielonefrite, comprometer o funcionamento dos rins e até causar uma infecção generalizada, a qual resulta na falência múltipla dos órgãos.

Reprodução/Pixabay

Nesta semana, a cantora Ludmilla foi internada com pielonefrite aguda após sentir fortes dores abdominais. A assessoria da artista informou que Ludmilla foi medicada e seu quadro é estável.

"Alteração na cor e odor da urina, ardência ao urinar e aumento na frequência urinária são os primeiros sintomas de infecção. Se o paciente não tiver os sintomas, os mascarar com medicações ou não tratar corretamente, a infecção pode evoluir e sair da bexiga, subindo pelos canais que chegam até os rins. Neste caso, chamamos de pielonefrite, e os sintomas são mais graves: febre alta, dor abdominal e vômitos. Após atingir os rins, como são órgãos que recebem muito fluxo de sangue, existe uma grande possibilidade das bactérias entrarem na corrente sanguínea e causar a infecção generalizada", explica o urologista.

"Por isso é tão importante procurar ajuda médica logo nos primeiros sinais. Se a infecção for tratada desde o início, em menos de 24h, apenas com antibióticos via oral e ingestão de líquidos, é possível ter melhora nos sintomas. Já no caso da pielonefrite, se ocorrer a formação de bolhas de pus nos rins, pode ser necessário até cirurgia para retirar esse pus e se o rim tiver bolhas grandes ou numerosas é necessário retirá-lo para controlar a infecção”, finaliza João Correia.

Conteúdo relacionado: