Como identificar a pneumonia?

por Redação Bonde com assessoria de imprensa
   

Espirros, tosse. Esses são alguns sintomas clássicos que aumentam perceptivelmente com a chegada do inverno. As temperaturas mais frias fazem com que 73% dos atendimentos realizados nos prontos-socorros sejam por conta de exacerbações de doenças respiratórias crônicas como rinite e asma, ou agudas como sinusite, gripe e pneumonia.

A pneumonia é uma infecção nos pulmões causada por bactérias (especialmente a chamada Pneumococo), vírus, fungos e outros micro-organismos infecciosos. Acontece quando os alvéolos, onde ocorre a troca gasosa, se enchem de muco e demais líquidos impedindo que o processo ocorra naturalmente.

De acordo com dados do DATASUS (Banco de dados do Sistema Único de Saúde), a doença atinge cerca de 2 milhões de brasileiros e entre 15% e 40% dos casos precisam de internação. Esse índice classifica a pneumonia como a primeira causa de internação nos hospitais e a quarta causa de morte no Brasil.

O Dr. Alex Macedo, mestre em Pneumologia pela UNIFESP, explica que a doença pode ser identificada quando o paciente apresenta sintomas como dor no tórax, tosse com secreção, febre alta, falta de ar, calafrios, falta de apetite, entre outros. "Muitas vezes, a pneumonia é desencadeada a partir de uma gripe ou resfriado, comuns nessa época do ano devido às alterações de clima e a concentração de pessoas em locais fechados. É preciso ficar atento aos sintomas, principalmente as pessoas que já possuem problemas respiratórios e procurar um médico para um diagnóstico correto. Caso a pneumonia seja identificada, é importante iniciar o tratamento o quanto antes aumentando as chances de não precisar de internação", reforça o especialista.

Uma das opções de tratamento é a administração do antibiótico moxifloxacino, que deve ser utilizado somente sob orientação médica.

O médico também ensina algumas dicas simples que podem ser seguidas para evitar a doença, como ingerir bastante líquido e se alimentar de maneira adequada. Dessa forma, o sistema de defesa do organismo funciona melhor, dificultando a contração das doenças de inverno. Evitar locais fechados e com muitas pessoas nessa época também é uma boa, pois a falta de ventilação aumenta as chances da transmissão das doenças típicas da estação mais fria do ano.