HU abre ambulatório para tratar pacientes com sequelas do coronavírus

por Redação Bonde
   
Divulgação/Assessoria HU/UEL

O serviço de Pneumologia do HU (Hospital Universitário) da UEL (Universidade Estadual de Londrina) vem atendendo casos de sequelas causadas pela Covid-19 em seu ambulatório. Os pacientes com sintomas persistentes e que caracterizam a síndrome são acompanhados por profissionais especializados na área, que monitoram as sequelas respiratórias com auxílio de exames de imagem e função pulmonar.

Esta é a segunda iniciativa em hospital público no Estado do Paraná, seguindo as orientações da OMS (Organização Mundial da Saúde) para acompanhamento das pessoas que vieram a contrair o vírus da Covid-19. Com este ambulatório, o HU/UEL fecha o ciclo de cuidados com estes pacientes, oferecendo tratamento de ponta em todas as fases da doença.

O acesso ao atendimento especializado é aberto aos pacientes do SUS internados no HUL, que é o hospital de referência para atendimento Covid-19.

Síndrome pós-covid

A Covid-19 se espalhou pelo mundo nos últimos 10 meses, desde que foi reconhecido pela primeira vez em Wuhan, uma cidade com mais de 11 milhões de pessoas na China central, em dezembro de 2019. Em um mês, os investigadores chineses identificaram um novo coronavírus, denominado SARS-CoV-2, como sua causa.

Mais recentemente, ficou claro que em alguns pacientes os sintomas debilitantes persistem por semanas ou até meses. Em alguns desses pacientes, os sintomas nunca desapareceram. Foi documentado que a lesão de órgãos persiste nos pulmões, coração, cérebro e rins, mesmo em algumas pessoas que apresentavam apenas sintomas leves.

O ritmo lento de recuperação, as sequelas pulmonares derivadas do acometimento pulmonar e da embolia pulmonar associada a quase 30% dos casos, associado a sequelas de internação em unidade de terapia intensiva e a síndrome da fadiga crônica levam a chamada "síndrome pós-Covid”.

Conteúdo relacionado: