Londrina registra o primeiro caso de chikungunya de 2020

por N.Com
   
Ilustração/N.com

A SMS (Secretaria Municipal de Saúde) divulgou, nesta quinta-feira (24), o novo boletim com os números atualizados sobre a dengue e chikungunya. De acordo com os dados, do início do ano até agora, Londrina registra 48.724 casos notificados de dengue, dos quais 24.118 foram confirmaram, 5.924 descartados e 18.682 estão em análise, aguardando o resultado de exames laboratoriais.

O município também contabiliza 41 notificações de óbitos relacionados à dengue, de residentes de Londrina. Destas, 32 foram confirmadas e nove descartadas, após discussão do Comitê de Revisão de Óbitos por Arboviroses.

Além disso, pela primeira vez no ano de 2020, foi registrado um caso de chikungunya em Londrina, em uma mulher, moradora da região sul da cidade. Inicialmente o caso havia sido notificado como dengue, mas no exame diferencial ficou constatado que os sinais e sintomas apresentados eram decorrentes da chikungunya. Os sinais que a paciente teve foram mialgia, exantema, dor articular por sete dias e petéquias, pequenas manchas marrom-arroxeadas.

A diretora de Vigilância em Saúde, Sônia Fernandes, explicou que não é a primeira vez que ocorrem casos desta arbovirose no município, pois desde 2016 há registro. Foram registrados três casos em 2016, um em 2017, três em 2018 e cinco em 2019. De acordo com ela, o trabalho de campo, de combate ao Aedes aegypti já foi realizado na localidade em que foi computado o novo caso, inclusive com aplicação de inseticida por bomba costal.

Atualmente, o trabalho de campo tem concentração em Irerê e no bairro União da Vitória, com visitas, entrega de sacos verdes, com orientação para retirada do lixo, e com a passagem da ONG que recolhe material reciclável na sequência.

Conteúdo relacionado: