Médicos são profissionais de maior credibilidade no Brasil, diz pesquisa

por Raquel Lopes - Folhapress
   

A pandemia do novo coronavírus fez aumentar a confiança da população nos médicos brasileiros. Eles se tornaram os profissionais de maior credibilidade em 2020, com 35% da confiança da população. Na segunda posição, aparecem os professores, com 21%.

Reprodução/Pixabay

Os resultados são de uma pesquisa realizada pelo Datafolha a pedido do Conselho Federal de Medicina (CFM). Foram ouvidas 1.511 pessoas de todas as regiões do país entre os dias 15 e 30 de maio de 2020.

Na pesquisa anterior, realizada em 2018, os médicos tinham um índice de 24% e ficavam atrás dos profissionais da educação, que obtiveram 34%.

O levantamento mostra ainda que atrás de médicos e professores, aparecem os bombeiros (11), policiais (5%), militares e juízes (4% cada) e advogados, jornalistas e engenheiros (3%, cada). Na sequência, surgem os procuradores de Justiça (com 1%) e os políticos (com 0,5%).

Os dados coletados pelo Datafolha a respeito dos médicos mostram ainda que 57% dos brasileiros avaliam como ótimo ou bom o trabalho médico, índice que sobe para 77% quando perguntados especificamente da atuação desse profissional no período da pandemia.

A pesquisa indica que a situação provocada pela Covid-19, em que informações desencontradas têm deixado a população insegura, contribuiu para o aumento do percentual de confiabilidade dos médicos.

Alexandre Menezes, segundo vice-presidente do CFM, avalia que a pandemia não só mostrou a importância de todos os profissionais de saúde, mas fez a população compreender a necessidade de uma estrutura melhor para o desenvolvimento do trabalho.

"A pandemia teve influência no crescimento do índice de confiança dos médicos. A saúde passou a ser protagonista na vida das pessoas. A população agora enxerga a importância de novos hospitais, equipamentos, antes se falava de falta de novos leito e as pessoas não entendiam a necessidade", disse.

Essa avaliação do trabalho dos médicos durante a pandemia vem amparada em percepções específicas. Por exemplo, 79% dos brasileiros avaliam como ótimo ou bom o empenho dos profissionais para atender os pacientes e 73% classificam da mesma forma a qualidade da assistência oferecida. Para 64%, o nível de confiança depositada no trabalho realizado durante a pandemia é alto.

Além disso, 51% dos brasileiros acreditam que o trabalho do médico tem recebido a valorização merecida. Entretanto, avaliam como regular, ruim ou péssimo as condições de trabalho oferecidas aos médicos, ou seja, entendem que o trabalho desses profissionais tem sido prejudicado por falta de infraestrutura.

Conteúdo relacionado: