Números de dengue entre 2019 e 2020 são os maiores já registrados desde 1991 pela Sesa

por Redação Bonde com AEN-PR
   

Os números da dengue são os maiores já registrados em toda a série histórica da Sesa, que investiga e monitora a doença desde 1991. Em anos anteriores, o último surto de dengue ocorreu no período epidemiológico 2015/2016 com 56 mil casos confirmados em 322 municípios e 63 óbitos. No período 2019/2020 os números de confirmados são maiores que 100 mil casos e 105 pessoas perderam a vida em decorrência da dengue.

Pixabay

Os dados do boletim semanal apresentam 114.711 casos confirmados da doença no período, 12% a mais que o boletim anterior, que trazia como total 102.427. Em todas as 22 regionais de saúde já há casos confirmados. No total, 333 municípios registraram pessoas com a doença, isso representa 83% dos municípios paranaenses.

"Reafirmamos que a dengue é um dos principais focos de atenção da Vigilância do Estado. A doença mata e combate-la é uma responsabilidade de todos: os criadouros do mosquito estão nas residências e a melhor forma de acabar com a transmissão é a retirada mecânica destes focos. Um a um eles devem ser eliminados. Convocamos a todos para este combate”, disse o secretário da Saúde, Beto Preto.

COMPARAÇÃO - A diferença entre o período anterior de 2018/2019 mostra incremento de 3.475%, ou seja, são 111.503 casos a mais em comparação ao mesmo período do ano passado.

SITUAÇÃO - Em situação de alerta estão 31 municípios paranaenses, três deles entraram esta semana para a lista: Santo Antônio do Sudoeste, Kaloré e Ribeirão Claro. Em epidemia por dengue há 195 cidades, seis a partir desta semana: Matelândia, Farol, São Manoel do Paraná, Bom Sucesso, Ribeirão do Pinhal e Cambará. O boletim desta semana mostra que três municípios registraram casos de dengue grave: Lupionópolis, Jacarezinho e Ivaiporã.

ÓBITOS - No período 2019/2020 os números de confirmados são maiores que 100 mil casos e 105 pessoas perderam a vida em decorrência da dengue.

Destas 105 mortes, 54 foram homens e 51, mulheres, representando 50,5% do total. Duas meninas e um menino com idade entre 0 a nove anos perderam a vida pela dengue. Cinco jovens, entre 10 e 19 anos e outras quatro pessoas com idade entre 20 e 29 faleceram por alguma complicação da doença. Na faixa de idade entre os 30 e 59 anos há registrado 22 óbitos, sendo seis homens e 16 mulheres. Embora a incidência maior seja em pessoas acima dos 70 anos (foram 53 no total, 24 homens e 29 mulheres), há 10 mulheres e oito homens com mais de 60 anos que tiveram como causa morte a dengue.

Os dados mostram também que 62,9% das pessoas que morreram tinham alguma comorbidade. Quinze pacientes tinham no seu histórico de saúde hipertensão arterial sistêmica, outros 32 eram hipertensos e mais uma ou duas doenças (como Diabetes Mellitus, insuficiência renal crônica, doença pulmonar obstrutiva crônica, doença autoimune ou cardiopatia). Três eram cardiopatas e três tratavam hepatopatia crônica. Seis era pacientes com insuficiência crônica, quatro com doenças autoimune, um com poliartrose, um doença pulmonar obstrutiva crônica e um com neoplasia.

Cidades que registram óbito no Paraná desde agosto do ano passado: Foz do Iguaçu (5), Medianeira (3), São Miguel do Iguaçu (1), Cascavel (2), Jesuítas (1), Nova Aurora (1), Barbosa Ferraz (7), Juranda (1), Nova Cantu (3), Peaberu (1), Ubiratã (1), Douradina (1), Nova Olímpia (1), Perobal (1), Umuarama (1), Xambrê (1), Cianorte (2), Rondon (1), Alto Paraná (4), Diamante do Norte (1), Itaúna do Sul (1), Nova Londrina (2), Paranavaí (2), Querência do Norte (2), Santa Cruz do Monte Castelo (2), Santa Mônica (1), Terra Rica (1), Atalaia (1), Colorado (3), Itaguajé (1), Itambé (1), Ivatuba (1), Marialva (1), Maringá (7), Nova Esperança (1), Paiçandu ( 1), Sarandi (4), Cambé (1), Centenário do Sul (1), Florestópolis (2), Jataizinho (1), Londrina (11), Lupionópolis (1), Primeiro de Maio (1), Rolândia (2), Bandeirantes (1), Sertaneja (1), Santo Antônio da Platina (1), Guaíra (1), Marechal Cândido Rondon (3), Maripá (1), Palotina (1), São Pedro do Iguaçu (1), Toledo (3) e Ivaiporã (1).

Conteúdo relacionado: