Pandemia afetou sistema de saúde em 90% dos países, diz OMS

por Ana Estela de Sousa Pinto - Folhapress
   
Rovena Rosa/Agência Brasil

O atendimento de saúde de 90% dos países do mundo foi afetado pela pandemia de coronavírus, indica relatório divulgado nesta segunda (31) pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

A pesquisa, com dados de 105 países em cinco regiões de março a junho de 2020, indica que foram interrompidos atendimentos de rotina e eletivos. Nos países mais pobres, atendimentos críticos, como diagnóstico de câncer e tratamento de HIV, também chegaram a ser suspensos.

Prontos-socorro e cirurgias de emergência foram afetados em um quinto dos países analisados, e quase um quarto teve transfusões de sangue interrompidas.

No Brasil, dados coletados de fevereiro a maio pela Academia Nacional de Medicina mostraram queda de 60% nas cirurgias de urgência durante a pandemia de Covid-19, enquanto da taxa de mortalidade nesses procedimentos subiu de 5,2% para 6,9%.

Na Itália, um dos países mais atingidos pela pandemia no mundo, as interrupções no sistema de saúde podem ser responsáveis por mais mortes que o coronavírus, segundo levantamentos de várias instituições.

"O levantamento mostra falhas nos nossos sistemas de saúde, mas ajuda a nos prepararmos para futuras pandemias", disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Em média, os países enfrentaram interrupções em metade de 25 serviços acompanhados. As maiores lacunas aconteceram em vacinações (70% em campanhas de campo e 61% nos postos de saúde), diagnóstico e tratamento de doenças não transmissíveis (69%), planejamento familiar e contracepção (68%).

Diagnóstico e tratamento de câncer foram afetados em 55% dos países. Áreas como tratamento dental e reabilitação foram suspensas preventivamente por muitos governos, como parte da política de combate à epidemia.

Conteúdo relacionado: