Paraná assina acordo com a Rússia, mas vacina será submetida à Anvisa

por Guilherme Marconi - Grupo Folha
   
Rodrigo Felix Leal/AEN

O Governo do Paraná assinou nesta quarta-feira (12) um memorando de entendimento técnico com o Fundo de Investimento Direto da Rússia para a produção de uma vacina contra a Covid-19. Em entrevista coletiva o diretor presidente do Tecpar (Instituto Tecnológico do Paraná), Jorge Callado, disse que o acordo formalizado agora não trata de compromissos financeiros e ainda deixa aberta a parceria definitiva para o futuro.

O acordo também depende de protocolo pesquisa e validação, que será submetido à Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária). Entretanto, a única data que ele voltou a citar é da expectativa de produção no Estado fique para o segundo semestre de 2021. O objetivo, segundo o governo, é compartilhar experiências e tecnologias e compartilhar orientações técnicas e profissionais relacionadas à vacina.

Questionado sobre a segurança colada em dúvida por parte da comunidade científica internacional e pela própria OMS (Organização Mundial de Saúde) sobre a vacina, Callado disse que nesta fase a parceria do Tecpar com a Rússia não trata de informações de segurança neste momento. Ele afirmou que esse trabalho será feito por uma força tarefa de cientistas do instituto em parceria com universidades e técnicos do governo que terão essa incumbência de checar as informações. "Independente do estágio e incertezas, as análises nos dirão para chegar a conclusão mais precisas, não podemos nos respaldar em citações."

Leia a matéria completa na FOLHA

Leia também: 'Podemos vacinar contra a Covid-19 em janeiro', diz diretor do Butantan

.