Paraná contabiliza 309 surtos de Covid-19

por Redação Bonde com assessoria de imprensa
   
Sesa

Até esta terça-feira (18), foram registrados 309 surtos localizados do novo coronavírus no Paraná, principalmente, em indústrias, estabelecimentos comerciais, instituições de saúde, instituições de longa permanência de idosos, penitenciárias, bancos, igrejas e durante encontros familiares.

Os surtos no Estado somam 8.215 casos confirmados e 89 óbitos.

A Sesa (secretaria da saúde do Paraná) tem acompanhado, desde o início da pandemia do novo coronavírus, todas as suspeitas de surtos de Covid-19 em ambientes de trabalho e espaços que reúnem um número maior de pessoas.

Para a configuração de um surto é preciso e o registro de pelo menos três confirmações, por teste do RT-PCR, no mesmo ambiente, em um período de 14 dias entre os casos.

O monitoramento é feito pelo Cievs (Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde) da Sesa e apresentado ao COE (Centro de Operações de Emergências) para as medidas de alerta e de controle.

"Estamos atentos e mantemos contato direto com os responsáveis por estes estabelecimentos ou junto às instituições representativas dos segmentos no sentido de recomendar as medidas necessárias para o controle do surto e proteção da população”, afirmou o secretário da Saúde do Paraná, Beto Preto.

Surtos

"As informações, que chegam por meios dos municípios ou Regionais de Saúde, são confirmadas e tabuladas”, explica a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde, Maria Goretti David Lopes. "São números seguros e que usamos também como alerta para áreas que apresentam mais casos; todos os registros são acompanhados pelas equipes de técnicos da Sesa; neste momento, estão sob controle ou sendo controlados”.

No Paraná, as instituições da área da Saúde registram maior número de surtos; são cerca de 70, em hospitais, clínicas, laboratórios e farmácias, envolvendo mais de 1.100 trabalhadores infectados pelo novo coronavírus; 40 óbitos foram contabilizados.

Na sequência, estão as indústrias que apresentam 55 surtos, em várias áreas, como de maquinários, motores, alimentos, compensados, cimento, papel e roupas. As agroindústrias são alvo de atenção da Sesa e do monitoramento, com 13 surtos nos segmentos de laticínios e processamento de grãos.

O setor dos frigoríficos, que emprega cerca de 100 mil pessoas no Paraná, já teve 33 surtos. A Secretaria Estadual da Saúde já publicou Resolução (944/2020) e Nota Orientativa (31/2020) específicos e promoveu várias videoconferências com o segmento para discussão e implantação de ações e planos de contingência nas áreas que as empresas frigoríficas estão instaladas.

Entre as principais orientações, constam: a indicação de cumprimento de normas do uso de equipamentos de proteção individuais, o afastamento dos trabalhadores durante a atividade laboral e a conduta a ser cumprida quando ocorrerem suspeitas ou casos confirmados.

O comércio em geral aponta 13 surtos; agências bancárias 8; restaurantes 7; supermercados 4; igrejas 3. Outros locais como salão de beleza, academia, alojamento, escritórios de contabilidade e empresas da área da informática também apresentaram surtos da Covid-19.

Entre as instituições que registram mais situações estão: os asilos (Instituições de Longa Permanência de Idosos) com 23 surtos, e as unidades prisionais, com 11.

Por região

Na soma geral, as regiões com maior número de surtos são: Cascavel, com 64 situações; Curitiba com 27 surtos; de Foz do Iguaçu 24; Cornélio Procópio 22, Toledo 21 e as regiões de Francisco Beltrão e de Maringá com 20 surtos cada.

Alerta

O levantamento do Cievs indica que os encontros familiares representam fator de risco para a contaminação e disseminação do vírus. "Cinco municípios registram surtos decorrentes de festas e eventos em família, com 77 confirmações e 3 óbitos pela Covid-19”, relatou a responsável pelo Cievs, Paula Linder.

Orientações

Diante de cada surto registrado, a Sesa faz o monitoramento dos casos e adota as medidas de contenção, realizando testes nas pessoas próximas, suspeitas e confirmadas, além de acompanhamento dos casos.

"Além disso, por meio do COE, a Sesa vem emitindo informações adequadas e seguras de prevenção e cuidados também pelas Notas Orientativas. São 44 no total, que divulgam as boas práticas a serem adotadas em ambientes laborais e de convívio”, explicou a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde, Maria Goretti David Lopes.

As notas informam tanto os responsáveis pelos vários segmentos afetados, como profissionais da área e a população em geral, e são atualizadas conforme o desenvolvimento da situação.

"Além disso, empresa ou estabelecimento ou instituição envolvida pode e deve incrementar as ações baseando-se em avaliações de riscos, transmissibilidade do momento e recursos disponíveis”, complementou.

Os segmentos que apresentam maior número de surtos no estado têm Nota Orientativas já publicadas no site da Sesa. Exemplo: orientações para manejo de surtos de doença pelo coronavírus em Unidades Prisionais (44/2020); medidas de prevenção, controle e testagem para Covid-19 nas instituições de longa permanência para idosos (41/2020); prevenção e controle da transmissão de infecção em serviços de saúde (38/2020); medidas de prevenção para aplicação em mercados, supermercados, hipermercados, atacarejos e outros estabelecimentos que comercializem alimentos (06/2020), prevenção e propagação da Covid-19 em residências e comunidades residenciais (16/2020); recomendações para a indústria do abate e processamento de carnes (31/2020), entre outras.

Conteúdo relacionado: