Saúde divulga dados atualizados sobre a dengue em Londrina

por Redação Bonde com N.Com
   

Nesta quinta-feira (2), a SMS (Secretaria Municipal de Saúde) publicou boletim semanal com novas informações a respeito dos casos de dengue na cidade. Os números, relativos à 14ª semana epidemiológica de 2020, apontam que Londrina está com 19.755 notificações relacionadas à doença e 7.696 casos confirmados até o momento.

AEN-PR

Outros 4.079 casos foram descartados e 9.880 estão sendo analisados, aguardando a liberação de exames laboratoriais. Não houve nenhuma confirmação de caso positivo nas duas últimas semanas avaliadas, e a quantidade de notificações também caiu, de 62 para 11.

No entanto, foram computados dois óbitos a mais em relação ao último boletim, divulgado semana passada, totalizando, agora, 13 mortes por dengue no município. Outros 12 falecimentos estão sob investigação e quatro foram descartados. A SMS reforça que a contagem de casos confirmados de dengue, para efeito de relatórios, leva em conta a data de início dos sintomas da doença pelo paciente.

De acordo com a diretora de Vigilância em Saúde do Município, Sônia Fernandes, mesmo com a diminuição que começa a haver no cenário de casos confirmados, a circulação viral da dengue continua na cidade, podendo oscilar nas diferentes regiões. Portanto, é necessário que a população mantenha-se alerta e não pare de cuidar da limpeza de seus quintais.

"As pessoas precisam entender que a dengue é um perigo real hoje, tanto ou mais grave que o próprio coronavírus, e não podem descuidar. É fundamental manter a prevenção e eliminar os focos de água parada para que a circulação do mosquito reduza e os riscos sejam menores”, frisou.

Além disso, a diretora pediu para que as pessoas que estiverem com os sintomas da doença não deixem de procurar os serviços de saúde existentes. "Com a situação de isolamento provocada pelo coronavírus, muita gente com sintomas de dengue tem medo de sair de casa para procurar atendimento médico, mas isso não pode acontecer. Caso haja suspeita da doença, com sintomas como febre, dor no corpo e na cabeça, mal-estar e manchas vermelhas no corpo, os serviços de referência devem ser procurados para que o tratamento inicie o quanto antes e da forma adequada. Em muitos casos, o paciente já chega às unidades apresentando quadro avançado e isso compromete a eficácia do tratamento”, completou.

Unidades de referência

Duas unidades de referência estão funcionando, exclusivamente, para atender casos relacionados à dengue em Londrina. Um dos pontos é a UBS (Unidade Básica de Saúde) da Vila Casoni, na região central, que está readaptando seu horário de funcionamento, por conta da redução na procura. Dessa forma, a partir de segunda-feira (7) os atendimentos irão ocorrer de segunda a sábado, sempre das 7h às 19h. O endereço é avenida Dez de Dezembro, nº 580.

A população também pode ser atendida no CCI (Centro de Convivência da Pessoa Idosa) Norte, que vem sendo utilizado pela Saúde como um centro especializado de atendimento exclusivo de dengue. O funcionamento é de domingo a domingo, das 7h até 1h da manhã. O espaço fica na rua Luiz Brugin, nº 570, esquina com a avenida Saul Elkind.

Além dos dois espaços de atendimento exclusivo à dengue, o público também pode se dirigir, caso necessitem, às outras UBSs de Londrina. A exceção, no momento, são as seis UBSs que estão operando somente para casos ligados ao coronavírus e de problemas respiratórios: Guanabara (centro), Bandeirantes (oeste), Ouro Branco (sul), Chefe Newton e Maria Cecília (norte) e Vila Ricardo (leste). E também a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Jardim Sabará, que funciona diariamente, 24h, somente para essa finalidade.

Disque-Dengue

Além dos serviços disponíveis, qualquer pessoa pode fazer uma denúncia de imóveis ou áreas que contenham focos do mosquito Aedes aegypti, abrangendo terrenos baldios ou ambientes que possam facilitar a proliferação deste vetor. O contato está disponível pelo 0800-4001893, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Conteúdo relacionado: