Especialista indica uma dieta alcalina que foge das 'dietas de mercado'

por Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
   
Shutterstock

Quem segue a risca uma dieta controlada consegue atingir seu objetivo de perda de massa corporal em pouco tempo. Porém, a dieta tem que ser mantida para que não volte a engordar depois, como acontece com grande parte dos 'marombas' de plantão.

Para quem quer fugir de regimes da moda, a especialista em estética ortomolecular, Alessandra Morgado, reforça a importância da alimentação e hábitos saudáveis diários e indica seguir uma a dieta alcalina, que não é como as ‘dietas da mercado’. "Trata-se de um estilo de vida. Podemos seguir a dieta alcalina todos os dias, porque vai beneficiar muito a nossa saúde e não faz restrição de nenhum tipo alimento, muito pelo contrário, podem ser utilizados todos, o que nós devemos ficar atentos é para a quantidade", reflete

Segunda a especialista, a dieta alcalina prioriza os alimentos alcalinos entre 70% e 80% do cardápio. "A dieta consiste em ingerir alimentos que possuam pH o mais próximo do pH sanguíneo, o mais alcalino possível, pois dessa forma alcançamos o equilíbrio chamado homeostase".

Confira as dicas:

- Suco alcalino: 1 folha de couve, 1/2 maçã, 1 rodela média de abacaxi, 1/3 de pepino, 1 pedaço de erva-doce e 1 pedaço de gengibre batidos com 1 copo (200 ml) de água.

- Regra valiosa: em cada refeição tenha algo verde, até no café da manhã, boa opção é um suco com algumas folhas e uma fruta.

- Salada de folhas e legumes para o almoço. No jantar, sopas vegetarianas (lentilha, quinua) ou um peixe com salada ou legumes. Para o lanche, uma sugestão é cortar uma cenoura, um pepino e aipo.

-Trocar refrigerantes por água geladinha com gotas de 1/2 limão.

- Tomar água de coco.

"Se você não toma uma providencias para melhorar essa acidificação, o corpo acelera o processo de envelhecimento que afeta tanto esteticamente quanto na saúde propriamente dita. Algumas doenças degenerativas podem ocorrer em decorrência do desequilíbrio homeostático", enfatiza ela.

Mas afinal, quais são esses alimentos tão ruins que tornam o corpo mais ácido?

"Um deles é o açúcar, a farinha refinada ou branca, o leite e os seus derivados, o café preto, produtos lights, diets e adoçantes, refrigerantes, cervejas, e bebidas alcoólicas em geral, temperos prontos que contém glutamato de sódio, salgadinhos prontos, pois contém o glutamato, todos os que contêm gordura hidrogenada, tudo o que contém corantes, acidulantes, a proteína animal acidifica também", finaliza Morgado.