Excesso de cera no ouvido está associado à oleosidade da pele

por Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
   

Sensação de ouvido tampado e déficit de audição podem ser sinais de produção excessiva de cera no canal auditivo. O problema causa incômodo e merece cuidados para não gerar consequências mais graves.

O otorrinolaringologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, Fernando Oto Balieiro, afirma que ainda não se sabe exatamente a razão de algumas pessoas produzirem mais cerume, mas existe uma associação entre essa quantidade excessiva e a pele oleosa. "Quem possui pele mais oleosa tende a ter uma produção de cera maior quando comparado a outras pessoas que não dispõem desta característica. É algo muito frequente", explica. Apesar dessa correlação, Balieiro é enfático em dizer que não é possível assegurar que todos que possuem maior oleosidade terão esse problema.

Alguns sinais também podem alertar para o acúmulo de cera no ouvido. Os primeiros sintomas são sempre a sensação de ouvido tampado e a surdez. De acordo com o otorrinolaringologista, isso é comum em quem tem uma rolha de cerume que pode estar fechando um ou dois condutos auditivos.

Outra forma de acentuar este acúmulo está ligada a um velho costume, o uso da haste flexível. A retirada do cerume deve ser feita somente por um especialista e quando houver queixa do paciente. A ânsia de resolver o incômodo, manipulando ou pingando produtos no ouvido, pode ocasionar consequências mais graves.

"É possível contrair uma otite externa, que é uma infecção da pele do canal, ocasionada por um trauma, ou seja, um machucado, decorrente de alguma substância ou manipulação indevida", reforça o médico. Para a correta higiene do ouvido, Balieiro recomenda somente água e sabão durante o banho, na parte externa.

Conteúdo relacionado: