Reconhecimento: cirurgiões plásticos de Londrina no mapa científico mundial

   
Divulgação/Carmen Kley

E nos últimos dias tive o prazer de entrevistar os cirurgiões plásticos Bruno Karner e Marcelo Ono. Os profissionais colocam Londrina no mapa científico internacional. O trabalho assinado pela dupla - e desenvolvido em Londrina - "Four-Step Augmentation Mastopexy: Lift and Augmentation at Single Time (LAST)” foi premiado como a melhor publicação da América Latina pela conceituada revista científica norte-americana PRS Global Open. Agora, o trabalho sobre mastopexia com próteses em quatro passos ganha o mundo. Para a dupla, a realização vai além de melhorar a autoestima das pacientes. É, também, compartilhamento de informações. Veja a entrevista. Fotos de Carmen Kley.

A ideia

"Desde o início, a ideia principal da técnica foi apoiar a prótese para evitar seu deslocamento, principalmente a queda. Quando se fala em prótese de mama, a ideia que se tem é da cirurgia de aumento para quem tem as mamas pequenas. Essa cirurgia geralmente é menos complexa. No entanto, quando a mulher já amamentou, emagreceu, ou tem muita flacidez, pode ser necessária a remoção de pele e o reposicionamento dos tecidos e das aréolas - praticamente desmontar a mama e montar de novo, quase uma reconstituição, que é chamada mastopexia com prótese. Essa cirurgia é bem mais complexa, e mais propensa a diversas complicações, principalmente quanto ao deslocamento da prótese. Nossa técnica consiste justamente em estabilizar melhor a prótese com uma alça lateral de músculo, além de padronizar uma sequência de manobras cirúrgicas que auxilia a obter resultados mais previsíveis."

Divulgação/Carmen Kley

A técnica

"A técnica não foi planejada. O Marcelo teve a ideia da alça e me mostrou. Vimos que a alça funcionava. Desde então, fomos desenvolvendo a sistematização, já que são necessários cuidados específicos para fazer dar certo. Agora, seis anos depois, acreditamos que a técnica está refinada e em constante evolução. A mastopexia com prótese era tradicionalmente uma cirurgia com um índice mais baixo de pacientes satisfeitas com os resultados, mas esse cenário foi revertido desde então."

Reconhecimento

"O mais gratificante é ouvir de alguns colegas que eles voltaram a fazer a cirurgia de mastopexia com próteses depois da técnica que desenvolvemos. A satisfação das pacientes e o interesse dos colegas servem de parâmetro para avaliarmos o sucesso. A técnica vem sido reproduzida mundialmente. Temos feedback de cirurgiões plásticos de todas as regiões do Brasil, além de América Latina, Estados Unidos, Europa e até mesmo do Oriente Médio, e isso é motivo de muita felicidade para nós."

Conteúdo relacionado: