Agronegócio aumenta demanda por frete em 10% em 2020

por Redação Bonde com assessoria
   

A demanda por frete rodoviário no Agronegócio teve incremento de mais de 10% ao considerar o acumulado do ano - de janeiro a agosto de 2020. segundo o Índice de Fretes e Pedágios Repom (IFPR). A Repom, marca líder em soluções de gestão e pagamento de despesas para frota própria e terceirizada da Edenred Brasil, traz mensalmente os dados e as análises do período e, ao analisar o mês de agosto com o mesmo período em 2019, é possível notar um aumento de 6,7% no volume de fretes rodoviários.

Já a Indústria e o Varejo, tiveram um incremento de 6,8% nas demandas por frete considerando os oito primeiros meses do ano, reforçando a retomada das atividades econômicas. Ao considerar somente agosto, o crescimento no volume de frete foi de 6,3% frente ao mesmo mês do ano passado, mantendo o ritmo positivo observado desde junho. Porém, é possível notar uma desaceleração de acordo com os números observados nos últimos dois meses - 50% menor frente a junho e 20% menor se comparado com julho.

"Diferentemente da Indústria e do Varejo, no Agronegócio não se observou a depressão da pandemia entre abril e maio, mas sim um pico de movimento, que está sendo compensado nos últimos dois meses, mais moderados, mas ainda positivos na visão acumulada. Este comportamento mais equilibrado também se deve ao término das safras no País”, pontua Thomas Gautier, Head de Mercado Rodoviário da Edenred Brasil.

Com relação ao número total de viagens emitidas de janeiro a agosto, o ano de 2018 figurou com 2,14 milhões de viagens, 2019 com 2,39 milhões - um incremento de 11,7% com relação ao ano anterior - e 2020 ficou com 2,57 milhões de viagens emitidas, representando um aumento de 7,5% frente a 2019.

.

Conteúdo relacionado: