Decreto da quarentena faz Tiago Amaral largar vice-liderança do governo do Estado

por Vítor Struck - Grupo Folha
   

Acusado por aliados políticos do prefeito Marcelo Belinati (PP) de ter articulado a inclusão da 17ª Regional de Saúde no escopo do decreto estadual que determinou a suspensão das atividades não essenciais, o deputado estadual Tiago Amaral (PSB) decidiu deixar a vice-liderança do governo na Alep (Assembleia Legislativa do Paraná).

Em um vídeo publicado pelo próprio deputado nas redes sociais, Amaral considerou a sua permanência no cargo, estratégico para Ratinho, como "insustentável".

"A minha posição essa semana foi muito clara, de que neste momento deve ser delegado aos municípios que quiserem assumir a responsabilidade pela definição de quais atividades devem ser abertas. Porém, em virtude do posicionamento da Secretaria de Estado da Saúde, que tomou seu posicionamento baseado nos seus números sem que isso fosse discutido comigo ou qualquer outro parlamentar que eu tenha ciência, a minha posição junto ao governo do estado ficou insustentável", disse o deputado.

LEIA MAIS: Acusação contra Tiago Amaral partiu de vereador belinatista

.