Confira cinco dicas para acertar na iluminação da cozinha

por Redação Bonde com assessoria de imprensa
   
Emerson Rodrigues
Projeto da arquiteta Ana Yoshida com um perfil de led de sobrepor no móvel superior

A cozinha é um ambiente que se tornou um dos pontos de encontro principais da casa. A Yamamura, que oferece soluções em iluminação, sempre recebe dúvidas sobre a questão da iluminação na cozinha. Por isso, seus especialistas compartilharam orientações importantes para quem precisa escolher as luminárias e os tipos de luz adequados para esse espaço.

Temperatura de cor

A cozinha é um dos ambientes prediletos e mais ativos da casa! Portanto, ela precisa ser bem funcional a fim de facilitar a preparação diária das refeições, desde as mais rápidas até as mais elaboradas. A cozinha também é um importante lugar de convivência, afinal de contas muitas famílias e amigos aproveitam para jogar conversa fora e viver momentos especiais enquanto preparam refeições!

Apesar de ser um ambiente que traz boas memórias, não podemos pensar em um tipo de iluminação que deixe o cômodo unicamente com uma sensação de relaxamento, pois há o manuseio de objetos cortantes, além de alimentos e líquidos em altas temperaturas. Sendo assim, o recomendado é incluir luzes que mantenham as pessoas mais atentas. Por isso, é indicado o uso da temperatura de cor branco frio (5000K a 6500K) ou cor neutra (4000K).

Também vale saber que identificar o tom exato de frutas, legumes e alimentos em geral ajuda a acertar na receita. Por isso, temos que considerar o Índice de Reprodução de Cores, que o IRC, valor que mostra o quanto uma determinada luz permite visualizar as cores com precisão, considerando a luz do sol como nossa referência de qualidade. A escala varia de 0 a 100, sendo 100 a nota máxima de qualidade na reprodução das tonalidades.

Luis Gomes
Pendentes aramados na cor cobre dão vida à cozinha do arquiteto Bruno Moraes

Ambientes Integrados

No caso de integração dos ambientes, situação muito comum atualmente, para que ocorra uma maior harmonia, convém buscar um "meio termo” na iluminação entre a cozinha, que requer mais atenção, e a sala de estar, que pede mais relaxamento. Uma dica é optar por luzes não tão voltadas para a temperatura de cor branco frio, para isso a temperatura de cor neutra (4000K) pode ser uma boa alternativa. Assim, dessa forma não há aquele choque visual em relação aos outros espaços da casa.

Emerson Rodrigues
Trio de pendentes na cozinha projetada pelo escritório Dantas & Passos Arquitetura

Peças mais indicadas

Por se tratar de uma área com passagem de tubulações hidráulicas, normalmente, a cozinha já possui rebaixamento de gesso no teto, portanto a aplicação mais usada, em geral, é a de embutir. Tudo vai depender de cada caso e das necessidades de cada morador. Nesse ponto, as peças mais usuais na cozinha são os plafons com placas de led embutidas, que garantem eficiência, versatilidade e contribuem para um ambiente clean.

Para quem prefere ousar na decoração ou precisa de flexibilidade, o uso de trilhos é uma ideia interessante. Além de modernos, possuem diferentes opções de lâmpadas e permitem modificar a quantidade de luz, conforme a situação. Para aqueles que possuem bancadas americanas, o ideal é pensar em pendentes acima delas para trazer ainda mais charme.

Sugestões para cada área

O tipo de luz e seus efeitos irão variar de acordo com o posicionamento dos pontos luminosos nos projetos, que por sua vez, mudam de acordo com o layout no espaço. Para as bancadas em que serão utilizados os objetos cortantes ou acima do fogão e cooktop, vale pensar na iluminação direta, como perfis de led embutidos nos armários ou plafons pontuais no teto.

Para a iluminação central da cozinha é sempre bom incluir luzes diretas e difusas, que priorizem a luminosidade do espaço como um todo. Enquanto isso, na bancada de refeições rápidas não é necessário o uso das regras de iluminações para cozinha: lá você pode investir em luzes indiretas e mais aconchegantes, assim como na sala de jantar.

Erros mais comuns

Muita gente erra ao posicionar um único ponto de luz central no ambiente, que acaba por criar sombras nas extremidades dos espaços, onde normalmente estão localizadas as bancadas para cozimento. Isso só não dificulta a visão como também pode ser prejudicial à segurança, por ser um local de manuseio de objetos cortantes e que, portanto, pode ocasionar um acidente.

Conteúdo relacionado: