Especialistas listam dicas para não terminar o casamento durante a reforma do imóvel

por Redação Bonde com assessoria de imprensa
   

Reformar é um desafio que requer uma preparação especial: projeto, planejamento, negociação, decisões e claro, muita paciência. Esses atributos não podem faltar no pacote de quem atravessará essa etapa tão importante. E se o processo pode parecer um tanto quanto robusto para uma única pessoa, imagine quando se trata de um casal? "Nessas horas, nosso mix entre a experiência profissional e pessoal entram em cena para auxiliar nossos clientes”, explica o arquiteto Renato Andrade, sócio de Erika Mello na Andrade & Mello Arquitetura. Casal na vida a dois, ambos consideram normal o fato de acontecerem opiniões divergentes, haja vista cada indivíduo tem o direito de expressar seu ponto de vista e gostos. "Tudo isso faz parte e gostamos muito de prestar o suporte para que consigam fugir de atritos e evitar impasses durante a reforma. Fazer concessões de forma equilibrada é essencial”, diz Erika.

Acompanhe as dicas listadas por eles:

1 - Dialogue

Sabemos que possíveis desentendimentos entre o casal podem ser inevitáveis. Portanto, na base de um bom diálogo, todas as questões podem ser equacionadas. "Aqui no escritório, situações embaraçosas entre casais aparecem com muita frequência, principalmente nos apartamentos pequenos, quando pesam as deliberações em função do espaço reduzido”, justifica o arquiteto Renato Andrade.

Para evitar este tipo de situação, ele recomenda um acordo entre as partes sobre o que cada um ficará responsável. Além disso, na conjuntura de um relacionamento saudável, deve haver a consciência de que, em algum momento, alguém terá que ceder.

Já para a arquiteta Erika Mello, pensar no esforço financeiro que o casal está fazendo por conta daquela obra pode contribuir. "Muitas vezes, a reforma é um sonho da família e um grande investimento. Pensando desta forma, as coisas podem fluir melhor a dois”, indica a profissional.

2 - Definição de expectativas

Além da conversa, definir a expectativa do casal para o imóvel é primordial. Quais os desejos e objetivos do par para cada cômodo e quanto tempo permanecerão no local? "Sempre sugerimos que o casal trace o que deseja para cada ambiente seguindo como critério o período pretendido para habitar no imóvel. Sem essa reflexão, a inadequação é um dos erros mais cometidos”, relata Erika.

3 - Definição de futuras decisões

Na hora de escolher materiais, cores, tecidos ou texturas, é interessante investir em um painel de referências. Decidir "pequenas coisas’’ com antecipação pode evitar grandes discussões no futuro. "Além disso, o casal também terá condições de verificar e comparar a composição dos tons e texturas. Desta forma, é possível conseguir amostras de materiais em lojas especializadas e ter uma visão mais global de como tudo se encaixará”, detalha Renato Andrade.

4 - Ouçam, consultem e contratem profissionais de arquitetura

Um profissional capacitado é quem dirá se as ideias que estão nas mentes dos futuros moradores podem ser concretizadas! Durante um extenso período de reforma, um arquiteto pode prestar suporte para que o casal a organize as referências trazidas pelo casal, assim como apresentar sugestões que atendam a lista de vontades expressada pelos dois. "A contratação de um profissional baliza as resoluções, além de garantir mais segurança na obra e agregar mais valor ao imóvel”, finaliza Erika Mello.

Conteúdo relacionado: