Metais para cozinha: acerte na escolha com este guia completo

por Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
   
Divulgação

Em tempos de pandemia, época em que as pessoas estão aproveitando ainda mais a casa, preparar as refeições na cozinha é mais do que uma tarefa cotidiana e que para alguns se tornou um hobby. Para tornar o momento de cozinhar mais prático e seguro é necessário lavar bem os alimentos e as louças que serão usadas. Para isso, a escolha das torneiras, misturadores ou monocomandos precisa ser ainda mais cuidadosa, afinal, além de fazer parte do ambiente (como decoração) também resulta em praticidade no dia a dia.

A escolha do metal ideal para a sua cozinha passa pela estética e pelas necessidades de uso de cada um. Por isso, antes de tomar essa importante decisão é preciso ter mente alguns aspectos imprescindíveis sobre as funções, aplicações, instalação e modelos.

Reunindo a expertise sobre o assunto, a Incepa, especialista em louças e metais para cozinhas e banheiros, traz um guia completo para auxiliar na hora de escolher a peça certa para o espaço que é considerado o coração da casa.

1) Água fria ou água quente e fria?

Primeiramente é necessário escolher se você deseja ter água quente na cozinha ou apenas água fria. Esta decisão influencia não só no produto escolhido, mas também na hidráulica da cozinha, que precisa de um tipo de aquecimento, podendo ser a gás, boiler ou elétrico. O uso da água quente traz diversas vantagens como: rapidez no preparo dos alimentos quando necessário ferver água, facilidade para remoção de gordura das louças, melhor higienização dos alimentos evitando a proliferação de bactérias e além disso, proporciona conforto térmico para as mãos, sobretudo nos dias frios.

Para ter as duas opções de temperatura, o usuário poderá escolher entre misturador e monocomando. Esses modelos possuem algumas diferenças: O primeiro apresenta dois acionamentos para o controle da temperatura, sendo uma responsável pela água fria e o outro pela quente. Neste caso, o morador precisará operá-las até que alcance a temperatura desejada. Já o monocomando tem apenas um acionamento e um só registro, facilitando na hora de chegar a temperatura ideal. Caso a decisão seja não ter água quente na cozinha, o ideal é investir em uma torneira que tem apenas a opção de água fria.

2) Metal de parede ou de mesa?

Logo depois de escolher entre ter água quente ou não, a decisão mais importante, que também deve ser tomada durante o planejamento da obra para determinar onde o encanamento será instalado, é se você quer que o metal seja instalado na parede ou na pia. Se esse aspecto não for previsto, pode acabar gerando a necessidade de uma reforma para ajustar a saída de água.

3) Funções:

A bica móvel, por exemplo, é uma peça acoplada na ponta do metal e com rotação para direcionar a água e atingir o centro da pia, em 360º. Esse elemento facilita bastante a limpeza tanto dos produtos quanto da pia. Já a bica extraível permite chegar em todos os cantos da pia, facilitando tanto o manuseio e preparo dos alimentos quanto da limpeza de toda bancada da pia.

4) Economia de água:

Todos os dias se faz necessário pensar sobre a economia dos recursos naturais. Avaliando isso, a Incepa, consciente de seu papel no meio ambiente, fabrica torneiras e misturadores com arejador e sistema ¼ de volta, que garantem a redução de até 50% no consumo de água, sem perder o conforto e volume de água.

5) Jato no centro da válvula:

Na cozinha é preciso ter espaço de manuseio para lavar alimentos e as louças. Dessa forma, recomenda-se manter uma distância de 30 cm entre a bica e a cuba, independentemente se a torneira é de parede ou bancada. Em relação ao ralo, a bica deve ficar em cima ou a 4 cm para trás, evitando que respingue para fora da pia.

Conteúdo relacionado: