Rômulo Estrela relembra dificuldades com sotaque em 'Novo Mundo'

por Folhapress
   

Rômulo Estrela, 36, relembra os tempos em que interpretava o secretário de D. Pedro (Caio Castro), Chalaça, na novela "Novo Mundo" (2017), que é atualmente reprisada na Globo na faixa das 18h. A trama, exibida em edição encurtada, abre caminho para sua continuação, "Nos Tempos do Imperador", que deve estrear na sequência.

Reprodução / TV Globo

"Fiquei feliz e surpreso com a edição especial", diz o ator. "Eu tenho um carinho enorme pela equipe dessa novela, e esse é um trabalho do qual me orgulho bastante. É uma novela linda, que mistura muito bem a história do Brasil com a ficção que toda boa dramaturgia pede".

O ator lembra que teve dificuldades ao assumir um sotaque português para seu personagem, mesmo com a ajuda do diretor artístico Vinícius Coimbra. "Só fui relaxar um pouco depois que passamos pela metade da obra", afirma ele sobre sua adequação à linguagem. "Mas o Chalaça veio em um momento importante da minha carreira, me ajudou a amadurecer cenicamente".

Hoje, assistindo novamente à novela, ele lembra com carinho das cenas em que o elenco "rompe de vez" os laços com Portugal, do grito da Independência e das sequências finais, nas quais equipe e elenco se juntaram em um momento emocionante.

Ainda lembra com carinho da lealdade e afeto de seu personagem com D. Pedro. "É algo muito bonito e que admiro. Acho que isso fortaleceu o que sempre senti por pessoas muito próximas a mim", diz.

"Meu personagem ficou conhecido pela forma como o Caio Castro me chamava na novela: 'Chalaça, meu Chalacinha', foi engraçado ver isso tomando forma e voltando de maneira tão natural depois de tanto tempo", acrescenta.

Conteúdo relacionado: