TRT-RJ acata pedido de Sindicato e adia Palmeiras x Fla por surto de covid

por Alexandre Araújo e Bruno Braz - Folhapress
   
Pixabay

Decisão do TRT-RJ (Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro) adiou a partida entre Palmeiras e Flamengo, marcada para este domingo (27), às 16h, no Allianz Parque, pelo Campeonato Brasileiro. A equipe carioca tem um surto de Covid-19 entre funcionários, dirigentes e jogadores.

A decisão foi assinada pelo juiz Filipe Olmo e aconteceu a pedido do Sindeclubes (Sindicato dos Funcionários de Clubes do Rio), presidido por José Pinheiro dos Santos, funcionário da segurança do Flamengo. A entidade entrou com o pedido na última sexta-feira (25).

O clube carioca já havia feito a mesma solicitação ao STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), mas o pedido foi indeferido. Os advogados da agremiação entraram com recurso. O mesmo apelo feito à CBF, organizadora do Campeonato Brasileiro, também foi negado.

"Apesar dos protocolos estabelecidos pela CBF e pelo 2º réu, é público e notório, pelos documentos e notícias juntadas aos autos, que há um surto focalizado entre os empregados e jogadores do Clube de Regatas do Flamengo. Em razão dos eventuais resultados falso-negativos e da possibilidade de haver infectados dentro do período de incubação, não há garantia de que os empregados saudáveis não terão contato com outros empregados que possam estar infectados", escreveu o juiz em seu despacho.

O Flamengo tem 36 funcionários ou dirigentes infectados pelo novo coronavírus, sendo 19 jogadores.

Para negar o pedido da equipe rubro-negra, a CBF apontou que a agremiação "dispõe de elenco suficiente para a realização da partida" e adotou o que chamou de "medida mais adequada e isonômica" -solicitações semelhantes foram anteriormente indeferidas, e atender à do atual campeão agora seria problemático.

Não houve empatia por parte do Palmeiras. O presidente Maurício Galiotte, disse que o protocolo estabelecido para a competição prevê esse tipo de situação.

Seus jogadores foram além e divulgaram uma nota desautorizando o próprio Sindicato dos Atletas de São Paulo, que havia publicado um texto exigindo a proteção dos palmeirenses e ameaçando medidas judiciais em caso de confirmação da partida. O elenco disse não ser representado pela associação e declarou "muita confiança nos protocolos".

O Flamengo já tinha vivido uma situação de indefinição nesta semana, na Copa Libertadores. Na tarde de terça (22), poucas horas antes do embate com o Barcelona-EQU, em Guayaquil, autoridades equatorianas chegaram a informar que o jogo estava cancelado e o estádio Monumental, interditado.

Atualizada às 16h17.

Conteúdo relacionado: