Manifestações por nada

   

Esperei o jogo final da Copa das Confederações para dar a minha versão sobre as manifestações que ocorreram no Brasil. Esperei porque desconfiava que toda essa baderna fosse somente para chamar a atenção durante os jogos.

Olhando daqui, deste lado do mundo, tudo o que aconteceu foi lamentável. Os noticiários mostravam o quebra-quebra, a truculência por parte do povo e dos policiais, sem dizer da "salada mista" dos ideais.

Não tenho certeza se a manifestação está sendo válida ou não, mas posso afirmar categoricamente de que tudo isso aconteceu na época errada. Isso jamais deveria ter ocorrido durante a Copa das Confederações, que é um evento esportivo e estava programado há muito tempo. A mesma coisa digo sobre a Copa do Mundo e das Olimpíadas com seus gastos exorbitantes. Não havia sequer um brasileiro letrado que não soubesse dos custos dos eventos, da possível roubalheira, do uso do dinheiro público para a construção dos estádios e infra-estrutura. Então, por que toda essa bagunça numa hora dessas? Quiseram aproveitar os holofotes e lavarem as roupas sujas para os estrangeiros verem? O que eles têm com isso? Irão nos ajudar depois do evento?

A impressão que fica é somente de baderna, de gritaria sem causa, sem resultados.

As noticias que chegam aqui no Japão sobre a manifestação são as piores possíveis. Um arranhão na imagem do Brasil, que reúne num mesmo barco a violência, falta de educação e cidadania.

Tenho certeza de que a culpa por toda essa vergonha é do povo que troca seus votos por cestas básicas, galinhas, cabras e porcos. Aí, no reboque vêem os sarneys, renans, collors, lulas, dilmas e outras gentalhas. Que país é esse?

Racionalmente a Copa do Mundo jamais poderia ser realizada no Brasil, por falta de estádios, aeroportos descentes, rede hoteleira de segunda linha, estradas esburacadas, transporte coletivo inexistente e a famosa violência urbana.

Assisti aos jogos e notei a arquibancada de cheia de gente loira, bonitas e saudáveis, ninguém sem camisa e todos com fisionomias de que não passam fome. Essa não é a realidade brasileira, portanto, tem alguma coisa errada.

Na Copa de 2002 realizada em parceria entre o Japão e a Coréia vi de perto os modernos estádios e toda estrutura necessária para a realização dos jogos. A checagem individual dos torcedores com detectores de metais até a segurança interna controlada por câmeras e robôs.

Lógico que gostaria de estar escrevendo que as manifestações foram válidas e que trarão reformas importantes para o Brasil. Mas sabemos todos que isso não é verdade. Amanhã ou no máximo semana que vem tudo já estará esquecido e voltaremos a pensar apenas em futebol, carnaval e cerveja.

No Japão, como não poderia deixar de ser, os brasileiros também fizeram um pequena manifestação em Nagoya (Aichi-ken), província com maior concentração de verde-amarelos. Aproximadamente mil conterrâneos gritaram os slogans de sempre, falaram que unidos jamais serão vencidos e outras bobagens mais. Tudo válido e feito pacificamente, mas e os resultados? Ajudarão em alguma coisa? A corrupção diminuirá? As pessoas aprenderão a votar? Estudarão mais?

Pessoas com boa vontade o mundo está cheio, mas aqueles que efetivamente levam seus projetos à frente e concluem seus objetivos é que são raridades. Esses devem estar trabalhando silenciosamente procurando uma maneira de melhorar o país e a humanidade.

Que venha o pau!

Centra Park - Nagoya