Setembro negro

   

Nesses anos todos ainda não havia presenciado coisa semelhante. Num curto espaço de uma semana, houve um forte tufão que passou sobre a nossa cabeça e um terrível terremoto em Hokkaido, ao norte do país.

Foram muitas mortes e milhões em prejuízo. Pare reconstruir a cidade ainda levará um bom tempo, e para se recompor do susto e da tristeza pelas perdas dos entes queridos, muito mais.

O tufão pegou em cheio as cidades de Osaka e Kyoto. Além dos "tradicionais" telhados e bicicletas, o tufão dessa vez levantou carros, virou caminhões, inundou o Aeroporto Internacional de Kansai (Osaka), levou barcos e navios, destrui também a ponte que liga o aeroporto ao continente deixando os passageiros completamente isolados. Coisa feia só de lembrar. Os telefones celulares ficaram mudos, não havia água, gás e luz. As crianças e idosos foram os que mais sofreram. Um por não entender direito o que se passava, o outro por ter vivido várias experiências semelhantes.

Aqui perto da minha casa muitos foram os semáforos arrancados, placas de informações destruídas, árvores arrancadas pelas raízes. Mas por conta de uma proteção enorme, nenhum vida foi levada.

Em seguida vem o terremoto. E com sempre, ele veio de madrugada, pegando o pessoal desprevenido. O chão sacudiu como há muito não se via, estradas racharam, morros deslizaram, pontes quebradas, mortes e mais mortes.

Agora, tudo precisará ser consertado às pressas porque o frio já vai chegar, e Hokkaido é o local mais frio do país. Em alguns lugares, a temperatura chega a 20 graus negativos, e Sapporo é famoso pelo Festival do Gêlo, realizado todos os anos e atraindo uma enormidade de turistas. Fico aqui pensando haverá clima para realizar o festiva em fevereiro.

O que vem depois da destruição é o encarecimento dos produtos hortifrutigranjeiros. Saladas, leite, queijo e ovos já são caros em tempos normais, mas depois de um abalo e vendaval, os preços ficarão inacessíveis até para o dono do Uniqlo.

Mas vamos levando porque não podemos parar. A vida precis seguir, muitas vezes sem olharmos para trás.

Abaixo, coloquei um vídeo do tufão e outro do terremoto para que o pessoal do samba e futebol pudesse entender melhor como é tudo isso.

Tufão

Terremoto