Universitários abandonam os estudos por falta de dinheiro

   

Estive ocupado neste final de semana ajudando meu filho na kitnete que irá morar a partir de março.

Tudo isso para que ele possa ir e vir da faculdade sem perder muito tempo, e sem se desgastar demais. Durante todo o ano passado, ele foi e voltou todos os dias, levando quase quatro horas somente de deslocamento. Eram três trens e muita correria.

Para tomar a decisão sobre a necessidade da mudança, verificamos a economia de tempo, o que significa mais horas para poder estudar, dormir ou fazer outra coisa qualquer que não seja ficar sentado dentro de um trem. Pesamos também nos gastos financeiros e o desgaste físico que tudo isso causava. Concluímos que o custo-beneficio valia à pena, e partimos para procurar um local onde ele pudesse morar.

Depois de toda a papelada para alugar, começamos a comprar alguns utensílios domésticos, mas ainda faltam várias coisas entre elas a "famosa" televisão. Essa deixarei por último por causa do custo. É que os preços subiram uma barbaridade. Nem nas lojas de usados conseguimos encontrar uma TV baratinha. A coisa está feia.

Pensando nos custos de uma simples mudança e na montagem de uma kitnete, é que comecei a me interessar como é que vivem os outros alunos da faculdade.

Perguntei ao meu filho sobre isso, e ele falou que quase nenhum aluno possuía TV, e muitos quando querem voltar para a casa dos pais, que moram em estados distantes, durante as férias buscam carona ou contam com a sorte de encontrar alguém que irá para o mesmo lugar.

Aí, li uma notícia onde dizia que aumentou o número de estudantes que abandonam a faculdade por dificuldades financeiras vem numa crescente faz alguns anos.

Mesmo sabendo que o governo facilita empréstimos bancários para pagar os estudos, muitos evitam a ajuda com medo de não conseguir pagar as dividas. Quer dizer, se você pegar o dinheiro emprestado, já começará a vida com uma divida que pode chegar a 50 mil dólares.

É bom saber que uma faculdade particular por aqui custa em torno de 13.000 dólares/ano e a do governo varia entre sete e 10.000 dólares/ano.

Será que é melhor ser pagodeiro ou jogador de futebol?

Kitnete japonesa